Itapecuru Mirim vai receber o programa Mais Renda

Durante as comemorações de 151 anos da cidade de Itapecuru, celebrado nesta quarta-feira (21), foi assinado o termo de cooperação mutua entre o Governo do Estado, Através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), e a prefeitura de Itapecuru Mirim para efetivação do programa Mais Renda na cidade. De acordo com o termo, 50 beneficiários irão receber equipamentos do programa.

O Mais Renda incorpora um conjunto de ações e estratégias que visam encontrar formas inovadoras para incluir socioprodutivamente famílias em situação de vulnerabilidade social, dando meios para que as mesmas alcancem independência financeira, melhorando assim a sua qualidade se vida. A assinatura aconteceu durante solenidade, na praça Gomes de Sousa, e contou com a presença do vice-governador Carlos Brandão, secretários de estados, parlamentares e autoridades locais.

O titular da Sedes. deputado Márcio Honaiser, esteve em Itapecuru e destacou a importância do programa na vida dos beneficiários.

“Ficamos felizes de estar aqui, junto com o prefeito Benedito Coroba e a primeira dama, e secretaria de Assistência Social, Teresa Landi, no aniversário de Itapecuru e assinando esse termo de cooperação mútua que traz para a cidade o Mais Renda. Este programa tão importante, que ajuda pessoas em vulnerabilidade social a conquistar sua independência financeira”, disse o deputado Márcio Honaiser destacando ainda que outros programas do Governo do Estado, desenvolvimento pela Sedes, serão implantados na cidade como Restaurante Popular e Água Para Todos.

A secretária de Assistência Social da cidade, primeira dama Teresa Landi, agradeceu ao governador Flávio Dino e ao secretário Márcio Honaiser a chegada do programa na cidade.

“Queremos agradecer ao governador Flávio Dino e ao secretário Márcio Honaiser por esta iniciativa que irá mudar a vida de famílias na nossa cidade. Estamos gratos por receber o programa Mais Renda”, disse Teresa Landi.

O prefeito Benedito Coroba também expressou a sua felicidade pela parceria entre Governo do Estado e a prefeitura de Itapecuru Mirim.

“Estamos felizes em assinar este termo de cooperação que tanto benefício vai para famílias da nossa cidade. Pra mim é um momento de muita gratidão ao governador Flávio Dino e ao secretário Márcio Honaiser. Além do Mais Renda a Secretaria de Desenvolvimento também está trazendo outras melhorias para Itapecuru. Esta é uma grande parceria”, disse o prefeito Benedito Coroba.

A secretária adjunta de relações institucionais e parcerias da Sedes, Agnes Bacelar, participou da cerimônia e falou sobre o impacto positivo do programa Mais Renda na vida das pessoas.

“Não são só 50 pessoas que serão beneficiadas. São 50 famílias, que terão a oportunidade de mudar a sua vida. Estas pessoas serão capacitadas e vão receber os equipamentos e todo o apoio para tocar suas vidas”, explicou Agnes Bacelar.

Fotos: Divulgação

Publicidade

Braide anuncia volta da Feirinha em novo formato e ampliada

O prefeito Eduardo Braide (Podemos), anunciou o retorno da Feirinha São Luís, na praça Benedito Leite, a partir deste domingo (25), com novo formato.

Além do retorno da Feirinha, Braide confirmou a sua ampliação para as ruas de Nazaré e Egito.

“A cidade está vacinada e querem uma boa notícia? A nossa Feirinha São Luís está de volta a partir deste domingo (25) e com um novo formato! E olha a novidade: é que além da Praça Benedito Leite, a Feirinha vai estar também na Rua de Nazaré e na Rua do Egito. E vai ficar melhor com: espaços criativos para nossas crianças e espaço para nossos pets; espaços para piquenique; atrações culturais; artesanato; comidas típicas; bebidas artesanais e food trucks”, afirmou o prefeito.

“O convite está feito! Estamos seguindo todos os protocolos sanitários e esperamos vocês das 9h as 16h, viu?!”, finalizou Braide.

Foto: Divulgação

Publicidade

César Pires quer articulação para retorno das aulas nos municípios

O deputado César Pires cobrou do governo Flávio Dino que abra o diálogo com os gestores municipais para garantir o anunciado retorno às aulas presenciais no Maranhão, a partir de 2 de agosto. O parlamentar lembrou que no interior do estado as secretarias municipais de educação são responsáveis pelo transporte de alunos da rede estadual na zona rural, e a maioria não está preparada para retomar essas atividades.

“Fiquei feliz com o retorno às aulas presenciais anunciado pelo governo estadual. É todo que todos nós queremos. Mas é preciso que se compreenda que cerca de 50% dos alunos da rede estadual que estudam em escolas localizadas na zona rural são transportados por veículos escolares mantidos pelas secretarias municipais de Educação. Então, para retomar as aulas com qualidade, o Estado precisa garantir as condições necessárias nos municípios”, enfatizou ele.

Segundo César Pires, não houve qualquer chamamento ou reunião promovida pelo governo estadual com os gestores municipais para que estes pudessem organizar em suas estruturas o retorno às aulas presenciais. “Muitos prefeitos assumiram o mandato este ano e sequer tiveram tempo hábil para realizar os processos licitatórios para aquisição de ônibus escolares ou para manutenção dos que já possuíam, ou para o estabelecimento de convênios com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)”, alertou.

Para o deputado, não basta apenas o governo estadual anunciar a tão sonhada retomada das aulas presenciais nas escolas públicas. É preciso criar as condições para que os alunos retornem às salas de aula com qualidade. “O Estado não tem condições de assegurar, sozinho, o transporte dos estudantes. O Município tem papel fundamental nesse processo e não poderia ser esquecido. Por isso apelo ao governador, para que tenha sensibilidade e inclua os gestores municipais na construção dessa retomada das aulas, que precisa acontecer com qualidade”, finalizou ele.

Foto: Divulgação

Publicidade

Prefeitura segue com fiscalização da frota de ônibus em São Luís

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) vem intensificando os trabalhos de fiscalização da frota de ônibus do sistema de transporte coletivo da capital. As operações, que foram ampliadas desde o início de junho, são feitas diariamente pelos agentes de trânsito nos pontos finais das linhas. Entre os pontos observados pelas equipes, está o funcionamento das plataformas elevatórias utilizadas por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, as condições dos veículos e o cumprimento das medidas sanitárias. 

“A Prefeitura tem avançado para garantir um transporte público cada vez melhor aos passageiros e a quem utiliza ônibus em São Luís. Por isso, a SMTT adotou novas metodologias de fiscalização dos transportes coletivos que circulam na cidade de São Luís, e que agora se estendem não só ao pátio da SMTT. Nossos agentes estão empenhados nos trabalhos de vistoria nos pontos finais, avaliando as condições dos elevadores dos ônibus durante a circulação do veículo, bem como as condições de transporte de passageiros e a importância de seguir as medidas sanitárias por conta da Covid19”, informou o secretário da SMTT, Cláudio Ribeiro. 

Segundo balanço do órgão, a nova modalidade de fiscalização se mostrou eficiente com um número maior de veículos alcançados. Na fase inicial, em menos de um mês foram fiscalizados 162 ônibus de todas as linhas, com um percentual de 19% de veículos com problemas relativos a elevadores. A nova sistemática abrangeu, deste modo, todas as frotas de todos os consórcios que operam os cinco terminais e, consequentemente, várias áreas e bairros distintos, gerando maior equilíbrio nas fiscalizações das linhas e dos bairros que atendem. A meta é fiscalizar todas as linhas e frotas de ônibus de todos os consórcios de empresas que servem a capital. 

Em paralelo à ação atual de fiscalização, a SMTT vem realizando outras ações de melhorias do serviço de transporte coletivo da capital. Como exemplo, entre as medidas estão as vistorias realizadas nos finais de linha nos bairros, nos terminais de integração à noite, visando o cumprimento de viagens das linhas, bem como o cumprimento de horários do serviço de ônibus prestado à população dos bairros mais afastados dos grandes corredores e aos trabalhadores e estudantes que precisam se deslocar tarde da noite. 

Entre as regiões já fiscalizações, estão o São Raimundo, Cohatrac, Ribeira, Coqueiro, Divineia, Santa Clara, Janaína, Sá Viana, Vila Palmeira, Bequimão, Socorrão 2, Residencial Paraíso, Vinhais, Vicente Fialho, Cema-Detran e Circular Radional.

Capacitação rodoviários – Paralelo ao trabalho de campo, a SMTT também ampliou a capacitação dos profissionais que operam no transporte urbano de São Luís e lidam, diariamente, com os mais de 300 mil passageiros. A ação começou em junho, ocasião em que foram capacitados mais de 200 motoristas e cobradores da empresa Primor. No início de julho, foram mais 180 profissionais da Viação Estrela que, durante três dias, receberam orientações de técnicos e especialistas em trânsito e transportes, que estão refletindo na melhor prestação de serviço aos ludovicenses. 

“Esse trabalho in loco é importante para que possamos mensurar não só os pontos que necessitam de maior atenção no transporte em São Luís, como também para manter um bom diálogo e valorizar motoristas, cobradores, trabalhadores do setor e também com a população. A Prefeitura vai continuar desenvolvendo essas atividades, buscando aprimorar também a operacionalização do trânsito em nossa cidade”, concluiu o secretário.

Foto: Divulgação

Publicidade

Hildo Rocha pede reabertura de agências do Banco do Brasil

Persistente, incansável, produtiva. Assim tem sido a luta liderada pelo deputado federal Hildo Rocha em defesa dos usuários do Banco do Brasil. A ação mais recente aconteceu durante Audiência Pública no âmbito da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara dos Deputados que debateu o fechamento de agências da maior instituição financeira pública do país.  Veja o vídeo.

“Só no Maranhão foram fechadas oito agências. A do Cohatrac, por exemplo, foi fechada poucos dias após ter sido totalmente reformada. A desativação da unidade aconteceu sem nenhum comunicado, sem diálogo com o público que utiliza a agência. Ficou muito ruim, ninguém entendeu o que houve, não dá para entender o fechamento dessa agência”, destacou o parlamentar. 

Visitas técnicas e audiências públicas – Hildo Rocha fez um breve relato acerca das visitas técnicas e debates que foram realizados nos estados do Maranhão, Rio Grande do Norte e Alagoas, quando foram ouvidos usuários do Banco, prefeitos de municípios afetados, autoridades estaduais, federais e municipais, diretores da instituição e representantes de sindicatos dos bancários.  

“Após esse trabalho, chegamos à conclusão de que o fechamento das agências causa efeitos devastadores na economia dos municípios e ocasionam angústia e sofrimento para os usuários do banco, principalmente para os idosos que, na maioria das vezes, ainda não utilizam as plataformas digitais que o banco disponibiliza. Além disso, algumas das agências que foram fechadas são lucrativas”, enfatizou Hildo Rocha. 

Desta vez, a Comissão convidou o Diretor de Atendimento e Canais do Banco do Brasil, Thompson Soares. O prefeito de Manaquiri (AM) e vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Jair Aguiar Souto também participou dos debates. 

Correspondentes bancários  – De acordo com o deputado Hildo Rocha, as unidades que atuam como correspondentes bancários não realizam todas as operações que podem ser feitas nas agências físicas do Banco do Brasil. “Devemos considerar que o Banco do Brasil tem uma função social relevante que não deve ser colocada em segundo plano em detrimento de questões relativas ao mercado financeiro e aos lucros da instituição”, sublinhou o deputado. 

Qual é a verdadeira motivação? – Hildo Rocha perguntou ao Diretor de Atendimento e Canais do Banco do Brasil, Thompson Soares, se o fechamento das agencias seria um passo preparatório para uma possível desestatização do Banco do Brasil. “Essa é a motivação? O Banco do Brasil pretende dar continuidade ao processo de fechamento de agências?  Há possibilidade de reabrir as agências que foram desativadas?”, questionou. 

Ao final da audiência, após ouvir os argumentos do representante do Banco do Brasil, o deputado Hildo Rocha fez novo apelo na tentativa de sensibilizar a diretoria da instituição e rever a decisão que originou o fechamento de agências no Maranhão e em todo o território nacional. 

“Quero pedir ao Dr. Thompson, que faça um estudo, junto com a diretoria, para verificar se pelo menos boa parte das agências que foram fechadas possam ser reabertas. A maioria das unidades desativadas são lucrativas e possuem uma clientela muito grande. Portanto, devem ser reativadas”, declarou Hildo Rocha. 

Desafios  – Thompson Soares lembrou que as mudanças foram iniciadas em 11 de janeiro deste ano e concluídas em 17 de maio. De acordo com Soares, em nenhum local onde houve fechamento de agencias deixou de existir atendimentos feitos por correspondentes bancários credenciados pelo Banco do Brasil. O diretor também ressaltou que a instituição está disposta ouvir a sociedade e entender as oportunidades que sejam viáveis dentro dos padrões negociais que o Banco opera. 

“O grande desafio é conciliar mudanças com as diferenças regionais. A proximidade com a comunidade, com prefeitos, empresários, e associações podem agregar bastante valor nessa discussão. Queremos chegar no Brasil inteiro, em todos os clientes, em todos os perfis para fazer negócios, viabilizar operações e levar valor no Brasil. Tem possibilidade de abrirmos novos pontos de atendimento. O modelo e o tipo de negócio e de estrutura a própria comunidade, os prefeitos e os empresários, junto com nossos superintendentes vão definir dentro de uma visão de qual é o canal adequados para aquela região”, explicou Thompson Soares. 

Publicidade

Osmar Filho visita cidades da Baixada Maranhense

Em visita a Baixada Maranhense no último final de semana, o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), esteve em alguns municípios da região, acompanhando de perto a realidade de cada um deles. 

“É por meio do diálogo com as pessoas que podemos conhecer suas necessidades, para juntos construirmos dias melhores para a cidade e sua população”, disse o pedetista em Viana, onde participou de uma reunião com 16 comunidades quilombolas que serão beneficiadas com cestas básicas concedidas pelo Ministério da Cidadania. Acompanhado do ex-prefeito Riva Luis, da professora Lucimar e de vereadores locais, Osmar conversou com os presentes sobre o grande potencial da localidade. 

Em Cajari, município administrado pela sua mãe, Dra. Maria Félix, o vereador destacou o trabalho que vem sendo desenvolvido.  “São obras de infraestrutura e, de reformas da sede da Prefeitura e de escolas, além da construção do Mercado Municipal, que farão de Cajari uma cidade cada vez melhor de se viver”, disse o pedetista, parabenizando a prefeita e toda sua equipe pela dedicação em favor da população local.

Osmar Filho também esteve na cidade de Matinha, onde se reuniu com o ex-prefeito Beto Pixuta; Aristóteles, candidato a vereador nas eleições de 2020; e, com o representante da população na Câmara Municipal do município, Tom, além de lideranças comunitárias. “Contem comigo na luta por uma Baixada Maranhense mais desenvolvida”, garantiu o vereador. 

Vale destacar que visitar municípios do estado é uma prática que vem se tornando rotina na vida do parlamentar.

Foto: Divulgação

Publicidade

Braide anuncia ação que agrada em cheio aos motoristas em SL

Um problema muito antigo e que sempre incomoda e provoca prejuízo aos motoristas parece ter dias contados em São Luís. Veja o vídeo aqui.

O prefeito Eduardo Braide (Podemos) anunciou o início do nivelamento dos bueiros em ruas e avenidas de São Luís. A iniciativa pode ser considerada bem simples, mas é importante demais e certamente vai agradar em cheio aos motoristas.

A ideia é deixar as tampas dos bueiros no mesmo nível do asfalto. Na verdade, a ação é uma correção do que foi feito de forma errada. Daqui para frente que deixem tudo no mesmo nível.

A iniciativa é muito interessante, mas seria bacana também expandir a ação e corrigir as irregularidades o asfalto em muitas ruas e avenida da nossa cidade.

Foto: Reprodução

Publicidade

Gastão diz não acreditar que a educação vai melhorar em 2 anos

Com o cerco da comunidade acadêmica e de representantes de esquerda no Legislativo, a alfabetização baseada nos achados da ciência cognitiva da leitura nunca conseguiu prosperar no Brasil. Iniciativas isoladas, que tentavam “avisar” que o país seguia no caminho errado, sofreram boicote.

Como uma de 2003, ocasião em que a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, sob a presidência do deputado Gastão Vieira (PROS-MA), produziu um relatório científico com evidências atualizadas sobre o ensino da leitura e da escrita. O deputado conta que o documento foi “ignorado” pelos educadores, por parlamentares e pela academia no país.

Apenas com a nova Política Nacional de Alfabetização (PNA), de 2019, os pressupostos da ciência foram “tirados do poço” e evidenciados – sob resistência. Apesar do avanço, há quem critique a morosidade para que as ações cheguem até as escolas de fato. Para muitos educadores, o MEC dificulta a interlocução com as redes de ensino estaduais e municipais, o que acaba por impedir a consolidação da alfabetização no país.

Para Vieira, há “indiferença” da parte da equipe do ministério a figuras públicas que desejam colaborar com as ações. Na leitura do parlamentar, a pasta quer ditar a maneira como estados e municípios devem tratar a alfabetização. Para ele, portanto, a lógica de “mais Brasil, menos Brasília” não se reflete na prática.

À Gazeta do Povo, ele também falou sobre sua perspectiva com relação à atuação do governo na pandemia e outros tópicos.

Leia mais

Publicidade

Juscelino Filho destaca avanço na LDO para 2022

O Congresso Nacional aprovou na última quinta-feira (15), o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2022, que define metas e prioridades para a elaboração do Orçamento Geral da União do próximo ano. O relator foi o deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA), que determinou que o governo tenha despesas obrigatórias com vacinas, primeira infância, habitação popular e tratamento de câncer, entre outras.

“Construímos, em apenas uma semana, uma LDO que traz avanços importantes e que vai balizar a confecção de um peça orçamentária que atenda às necessidades e expectativas do país. Dialogamos com órgãos do Poder Executivo, Judiciário, parlamentares e entidades da sociedade civil, e tivemos a contribuição de mais de 2.600 emendas dos colegas parlamentares. Saúde, educação, assistência social, habitação e segurança pública estão entre as prioridades do nosso texto aprovado”, afirma Juscelino Filho.

Na saúde, a LDO para 2022 protege gastos com o Plano Nacional de Imunização, tratamento de pacientes com sequelas da Covid-19, ampliação da rede de atendimento oncológico e com pesquisas e desenvolvimento de insumos e imunobiológicos. “Não houve nenhum corte. Pelo contrário, sou médico e essa foi uma das áreas em que tivemos a maior atenção possível. No caso dos sequelas da Covid, por exemplo, tenho demonstrado essa preocupação e defendido a implantação de pelo menos quatro centros de reabilitação no Maranhão”, explica o deputado.

Obras – Outra grande preocupação de Juscelino Filho foi com as obras paralisadas. O relatório traz um dispositivo que permite que órgãos federais reequilibrem planilhas de acordo com o aumento de preços da construção civil. “Assim, vamos evitar que uma escola ou um posto de saúde seja abandonado em razão da insuficiência de recursos para conclusão, o que vai gerar economia de recursos públicos. Claro que isso só será feito se a obra estiver com o cronograma e a execução financeira em ordem”, esclarece.

O relator espera que a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2022 leve à retomada da política habitacional do governo federal. “O programa Casa Verde e Amarela foi lançado, mas não se celebraram contratos para novas unidades. Hoje se dá apenas continuidade a projetos do Minha Casa, Minha Vida que não foram entregues. E isso tem evitado que milhões de brasileiros realizem o sonho da casa própria, especialmente nas cidades menores”, lembra.

O texto aprovado também permite a transferência de recursos a municípios de até 50 mil habitantes que estejam inadimplentes em cadastros ou sistemas de informações financeiras, contábeis e fiscais. Esse dispositivo já constava na LDO deste ano, foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas restabelecido pelo Congresso. “Isso dá possibilidade a políticas públicas chegarem a cidades que enfrentam dificuldades de antigos gestores”, celebra Juscelino.

Ressalvas ao contingenciamento e concursados – Juscelino Filho ainda destacou em seu relatório ações e programas que terão os recursos poupados de bloqueios no próximo ano. Entre elas, destacam-se a realização do censo pelo IBGE, despesas com segurança pública, política de ensino em tempo integral, universalização do acesso à internet e as ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da Embrapa. Já em relação à questões de pessoal, o deputado assegurou recursos para o reajuste do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e para a convocação de concursados da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e do Departamento Penitenciário Nacional.

Emendas a favor do Maranhão – Assim como todos os deputados federais e senadores, Juscelino Filho apresentou três emendas ao Anexo de Prioridades e Metas da LDO 2022. Uma delas contempla a duplicação da BR-010 de Açailândia a Imperatriz. Outra beneficia a reconstrução da BR-222, no trecho de 111 quilômetros entre Miranda do Norte e Santa Inês. Já a terceira emenda prevê a implantação de quatro unidades do Hospital do Amor, em Santa Inês, Chapadinha, Balsas e Barra do Corda. Elas se somariam à construção de outras duas: em Imperatriz, por iniciativa do senador Weverton Rocha (PDT-MA); e em Pinheiro, decisão da bancada federal maranhense.

Já à bancada de deputados e senadores do Maranhão, coube a apresentação de outras três emendas. As definidas foram para a construção do trecho ferroviário de Açailândia, Alto Alegre e Alcântara; para a construção de outro trecho de ferrovia, esse entre Alto Parnaíba e Porto Franco; e para a duplicação e recuperação de rodovias federais, em razão do péssimo estado de conservação da malha que corta o estado.

Foto: Divulgação

Publicidade

Famem presta solidariedade e apoio ao prefeito de Cantanhede

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) prestou solidariedade e apoio ao prefeito de Cantanhede, José Martinho.

Segundo a nota, Martinho tem sido exposto como se tivesse agredido um cidadão em um vídeo no qual aparece apenas um trecho do litígio ocorrido no último sábado (17), editado para favorecer a tese de que o prefeito seria o agressor.

Leia a nota

“A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) – vem prestar apoio e solidariedade ao prefeito do município de Cantanhede, José Martinho, que tem sido exposto como se tivesse agredido um cidadão em um vídeo no qual aparece apenas um trecho do litígio ocorrido no último sábado (17), editado para favorecer a tese de que o prefeito seria o agressor.

Após analisar todos os registros do caso, a diretoria da Famem identificou que claramente o senhor que diz ser dono de um terreno onde a prefeitura abriu uma via para facilitar o acesso dos moradores do Bairro Cajuí ameaçou a equipe da gestão municipal, afirmando que iria pegar uma arma de fogo em seu veículo para utilizar contra os agentes públicos. Nos vídeos ficam claras as falas do cidadão: “Vou pegar meu revólver” e “dar logo um tiro nele”.

O motorista do prefeito, que já recebido uma agressão física, tentou impedir que o agressor chegasse até o veículo e cumprisse a ameaça.

Como todos os envolvidos estavam com os ânimos exacerbados, é importante frisar que o prefeito José Martinho não estava ali brigando por causa particular, mas para que uma área pública não fosse indevidamente privatizada. Ou seja, o prefeito estava discutindo para beneficiar a população de Cantanhede com a Rua aberta pela prefeitura e fechada pelo cidadão que alegou ser parte de seu terreno, impedindo que os munícipes pudessem trafegar pelo local.

Vários moradores antigos do bairro confirmam que o terreno estava abandonado há muitos anos e, de repente, este cidadão apareceu dizendo ser dono do local.

Esperamos que a opinião pública entenda que, embora tenha se exaltado – e já pediu desculpas públicas pelo fato – o prefeito José Martinho o fez diante de uma gravíssima ameaça.

Seguimos acompanhando o caso e esperando o melhor desfecho para a população de Cantanhede, que espera ter o acesso a esta via pública”.

Foto: Divulgação