Hildo Rocha trata sobre voo regional para os Lençóis

O presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara, deputado Hildo Rocha, se reuniu com diretores da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para tratar acerca de demandas do setor.

Na ocasião, também foram discutidas propostas legislativas referentes ao segmento da aviação comercial que tramitam na Câmara dos Deputados e demandas de companhias que exploram linhas aéreas regionais. Os representantes da Abear destacaram que a Passaredo Linhas Aéreas pretende incluir Barreirinhas na rota que tem como ponto de partida a cidade de Fortaleza com escalas em Jericoacoara e Parnaíba, de onde as aeronaves se deslocam para São Luis.

Infraestrutura aeroportuária – Hildo Rocha explicou que a inclusão de Barreirinhas é totalmente viável. Entretanto, para que a proposta seja concretizada é necessário que o governo do Maranhão solucione pequenas pendências que ainda impedem o uso do aeroporto de Barreirinhas.

“A pista do aeroporto de Barreirinhas é muito boa, o terminal de passageiros está concluído. O aeroporto está pronto para receber voos regionais, entretanto o governo estadual precisa cobrar agilidade na solução de pendências por parte do concessionário do aeroporto que é estadual. As companhias aéreas estão interessadas em fazer voos regulares para Barreirinhas, agora só depende de sanar as pendências operacionais”, explicou o parlamentar maranhense.

Hildo Rocha se colocou à disposição para ajudar na consolidação do aeroporto de Barreirinhas. “Estou me colocando à disposição para ajudar no que estiver dentro do meu limite de atuação legal e administrativa para que sejam efetivados os voos comerciais em Barreirinhas. Essa proposta, capitaneada por Eduardo Sanovicz, presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, é importantíssima para a economia do Maranhão e para o fortalecimento do Turismo dos municípios que fazem parte dessa importante rota aérea regional”, enfatizou Hildo Rocha.

Abear – A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) tem a missão de estimular o hábito de voar no País. Suas estratégias de atuação compreendem planejar, implementar e apoiar ações e programas que promovam o crescimento da aviação civil de forma consistente e sustentável, tanto para o transporte de passageiros como para o de cargas.

Criada em 2012 pelas principais companhias aéreas brasileiras, a associação também contribui para o relacionamento da cadeia da aviação, atuando junto aos setores público e privado, entidades de classe e consumidores.

Foto: Divulgação

Uma resposta para "Hildo Rocha trata sobre voo regional para os Lençóis"

  • Claudio Lemes Louzada

    Ao construir uma pista de pouso de apenas 1.500m de comprimento (1.500 x 30m) e não uma de 1.800m adequada aos jatos regionais de 118, 136, 138 e 144 passageiros, Barreirinhas excluiu-se como destino de voos diretos vindos de São Paulo, maior centro emissor de turismo.

    Por outro lado, parece ilógico ou exagerado nesse momento que a pista tenha sido construída com resistência do piso PCN71, do inglês Pavement Classification Number, igual a necessária para aeronaves de 350 passageiros.

    Também é agravante o fato de o aeroporto não operar por instrumento GPS. Em pleno século 21, aeroporto que não opera por instrumento é só um simples aeródromo sem infraestrutura para a moderna aviação. Saudações,