Yglésio diz que só será candidato se for para unir o Moto Club

O deputado estadual Yglésio Moyses vai registrar a sua candidatura a presidente do Moto no próximo dia 6 de novembro, último dia para a inscrição das chapas de acordo com o edital que marcou a eleição para 10 de novembro.

Yglésio disse que a sua candidatura tem por objetivo a união e consenso dentro do Moto. Somente neste cenário manterá o seu nome à disposição do clube. O recado é claro, pois o Moto nos últimos anos tem atravessado momentos de turbulência administrativa provocada pela inércia e omissão de seus conselheiros.

“Eu não vou entrar em nenhuma disputa dentro do Moto. Não é esse objetivo. O Moto não precisa de mais um que vá provocar mais divisão. O clube já tem muitos problemas e está bastante dividido. O resultado disso tudo nós estamos vendo. Eu só entro se for para unir o clube e se houver consenso em torno do meu nome. Sou vou se houver unanimidade, pois considero que a união é fundamental para que o Moto possa se reerguer. Não dá mais para pensar um clube forte sem que ele tenha todas as suas forças juntas. Se for para dividir e ter uma situação de mais disputa dentro do clube eu não entro, pois os problemas já são enormes e não dá para mais divisão”, explicou.

Yglésio disse que tem buscado todas as informações sobre custos e folhas de pagamentos, dívidas e processos em andamento na Justiça, contratos, patrocínios e sócios-torcedores.

“Esses são os pontos mais importantes no momento e vamos começar organizando a casa por eles e é claro não vamos deixar de olhar para a formação de uma boa equipe dentro da realidade que estamos atravessando”, explicou.

Yglésio defendeu a necessidade do apoio de torcedores e conselheiros do Moto e destacou que esteve conversando com o presidente da FMF, Antônio Américo que se mostrou disposto a ajudar o Moto neste momento de reconstrução e afirmou que nos próximos dias vai procurar grandes empresas no estado que possam se tornar parceiras do clube. Ele também garantiu que terá conversas com o secretário de Esportes, Rogério Cafeteira em busca de apoio ao Moto por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

Foto: Agência Assembleia

3 comentários para "Yglésio diz que só será candidato se for para unir o Moto Club"

  • Rosangela

    Adeus meu voto e da minha famllía.

    • Zeca Soares

      Então era um voto sem convicção, porque mudar porque o deputado vai assumir um time de futebol é demais.

  • Jovem Motense

    Sousa Neto foi Deputado, foi Sec. de Esporte do Governo, passou anos dentro do governo junto com o Sogro, quando tava na boa não quis saber de Moto.

    Agora que tá no ostracismo político, querendo voto pra eleição ano que vem, aparece do nada pra atrapalhar a candidatura de Yglesio.