Rodoviários rejeitam proposta de 2% e greve continua em SL

O Sindicato dos Rodoviários rejeitou a proposta de reajuste salarial apresentada pelo SET durante reunião que teve início nesta manhã, na Prefeitura de São Luís.

A categoria considerou “vergonhosa”a proposta de reajuste salarial de 2% apresentada pelos empresários.

Com isso, a greve dos Rodoviários pode entrar nesta terça-feira (26) no sexto dia de greve. Os rodoviários permanecem na Prefeitura e dialogam com o prefeito Eduardo Braide e equipe.

Leia a nota dos Rodoviários – “Depois de mais de seis horas reunidos na sede da Prefeitura de São Luís, Rodoviários e empresários, mais uma vez, não chegaram a um consenso.

Os patrões, diante da paralisação dos ônibus na Grande São Luís, que já está no quinto dia, apresentaram uma proposta, considerada vergonhosa pelos trabalhadores: 2% de reajuste salarial.

O Prefeito Eduardo Braide, se comprometeu a apresentar até a próxima quinta-feira (28), uma medida, que serviria para solucionar esse impasse, uma espécie de auxílio. Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, levou a proposta para a categoria, que aguardava desde a manhã, em frente a sede da Prefeitura, o resultado desta reunião, mas nenhum trabalhador, aceitou as condições impostas pelos empresários. A categoria, decidiu pela manutenção do movimento grevista.

“Desde a manhã, estamos reunidos e mais uma vez, o sentimento é de frustração. O empresários seguem com a intransigência deles, em não oferecer uma proposta digna aos trabalhadores, que atuam na precariedade, arriscando a própria vida, que quando não são ameaçados por criminosos, se expõem a Covid-19. Realizamos atividade essencial e sem dúvida, merecemos mais respeito por parte dos patrões. Levamos a proposta aos trabalhadores, que não aceitaram. Nestas condições, ficará difícil avançar nas negociações”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão”.

Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

Seja o primeiro à comentar em "Rodoviários rejeitam proposta de 2% e greve continua em SL"