Vacinar é um ato de amor à vida!

Por Carlos Brandão

Mesmo diante de tantas dificuldades e de tanta tristeza pelas perdas causadas pela pandemia, esta semana começou com sorrisos. Fui, literalmente, contagiado pela alegria, pela graciosidade e pela energia das crianças. Foram encontros renovadores. Ainda mais quando sabemos da importância do trabalho que fazemos para que elas tenham um futuro de oportunidades. Em meio a tantos abraços, me senti revigorado e ainda com mais responsabilidade em continuar abrindo portas para que elas possam, quando adultas, se deparar com um Maranhão cada vez mais desenvolvido e socialmente justo. É por isso que trabalhamos.

A criançada nos devolve a esperança, por tudo que enfrentamos, nos últimos vinte meses. Tempos difíceis que estamos vencendo com um esforço gigantesco feito por servidores dedicados a cumprir as metas estabelecidas. Neste domingo, lembramos o Dia Nacional da Vacinação, como forma de conscientizar a todos sobre a importância da vacina, seja para qual for o mal. Claro que, diante da covid-19 e do desenvolvimento tão rápido de um imunizante, acabamos destacando o quanto é fundamental seguirmos trabalhando para que tenhamos o maior número possível de pessoas vacinadas. O Brasil acaba de registrar – pela primeira vez desde novembro de 2020 – uma média móvel de mortes inferior a 400, ou uma redução de 32% em relação a duas semanas. Graças à imunização.

No maior estudo realizado até agora, cientistas franceses chegaram à conclusão de que os vacinados contra a covid-19 têm nove vezes menos riscos de serem hospitalizados ou de morrer do Sars-CoV-2 que os não vacinados. São dados que nos mostram a importância de seguirmos apostando – e alto – na tarefa de oferecer o imunizante a todos. Aqui no Maranhão, incentivamos de muitas formas. Até prêmios em dinheiro são sorteados entre aqueles que tomaram a segunda dose (programa Dose Premiada). Promovemos o Arraial da Vacinação em várias cidades do estado; abrimos atendimentos em drive-thru, para facilitar o acesso das pessoas aos pontos onde foram disponibilizadas; levamos a vacina a todos os rincões do estado, por meio de nossas equipes em parceria com as equipes municipais. Conseguimos, inclusive, que Alcântara fosse a primeira cidade brasileira a vacinar toda a sua população adulta com a 1ª dose contra a covid-19.

Nosso Governo segue, rigorosamente, o Plano Nacional de Imunização, muito embora o governo federal tenha batido cabeça no enfrentamento à covid-19. Não tivesse a União minimizado os efeitos da doença e as imensas perdas causadas por ela, já estaríamos bem mais avançados. Mesmo assim, o Maranhão continua sendo o estado brasileiro com o menor número proporcional de mortes por covid-19 desde o início da pandemia. Nosso Governo, sob a liderança do governador Flávio Dino, é considerado o que melhor enfrenta a pandemia no país. E já vacinamos mais de 4.230.000 pessoas com pelo menos uma dose. Ainda temos trabalho a fazer. Até porque, há outras doenças que também carecem de nossa atenção – tanto que, este ano, já estivemos em segundo lugar entre os estados que mais aplicaram doses contra a Influenza.

É uma luta diária, que envolve centenas de profissionais. A vacina é um método antigo, mas eficaz e necessário. Embora a cobertura vacinal tenha caído no país, nos últimos cinco anos, seguimos com a certeza de que, no Maranhão, seguimos o caminho certo, que reforça aquela palavra que citei no início do artigo e que as crianças me fizeram enaltecer: esperança. Pelas crianças, por todos os maranhenses, meu pedido é que ninguém deixe de preencher a sua carteira de vacinação e – falando especialmente da covid -, que todos procurem a vacina. Assim, em breve, venceremos.

*Vice-governador do Maranhão

Seja o primeiro à comentar em "Vacinar é um ato de amor à vida!"