O que Paulo Guedes praticou é ilegal, imoral e engorda, diz Bira

Na noite desta quarta-feira (06), em sessão da Câmara, o deputado federal Bira do Pindaré (PSB) afirmou que, após o escândalo do Pandora Papers, “se o ministro Paulo Guedes tivesse vergonha na cara não esperaria a demissão, renunciaria”.

Para Bira, o que o chefe da economia praticou ‘é ilegal, é imoral e engorda’. “É ilegal porque viola o código de conduta da alta administração no Brasil, como ministro ele jamais poderia ter dinheiro em paraíso fiscal. Jamais. E ele não declarou, escamoteou”, explicou.

Ele acrescentou que a prática do ministro é ainda imoral porque Guedes é o responsável maior pela economia no país e tem o poder de, inclusive, em certo medida, controlar o dólar e a política de preços na Petrobrás.

“Toda vez que aumenta o dólar, ele fica mais rico. É uma imoralidade ter um ministro que se beneficia da própria política no governo. Ele está enriquecendo com a pobreza do povo, porque o povo está pagando tudo em dólar. Portanto, engorda. Engorda o próprio bolso porque só com essa operação, ele já embolsou mais de R$ 14 milhões”, acrescentou.

O parlamentar, que é vice-líder do PSB na Câmara, lembrou ainda falas polêmicas do ministro, de maneira particular uma em que Guedes referiu-se aos servidores públicos como parasitas. “O verdadeiro parasita do Brasil é ele, que está enriquecendo às custas do povo”, denunciou.

Foto: Divulgação

Seja o primeiro à comentar em "O que Paulo Guedes praticou é ilegal, imoral e engorda, diz Bira"