Prevenir ou remediar – Vacinas a melhor relação custo-benefício

Por Nordman Wall

Quando falamos em remediar uma determinada situação, imediatamente, imaginamos de quanto será o prejuízo. Sendo assim, fica fácil concluir que prevenir é melhor do que remediar, principalmente, quando se trata da saúde do nosso melhor amigo, o cão. Dessa forma é importante lembrar que a vacinação é o melhor método para evitar doenças graves que muitas das vezes não existe cura, sendo considerado seguro, eficaz e com excelente relação custo-benefício.

Existe em Medicina Veterinária, a American Animal Hospital Association (AAHA) e a Word Small Animal Veterinary Association (WSAVA) que, desde 2003, por meio de reuniões com especialistas no assunto oferecem publicações que traz recomendações sobre a vacinação de cães nos EUA e no Canadá.

Fundamentado nessas publicações e respeitando a epidemiologia das principais doenças no nosso Estado é imprescindível que os nossos cães devem ser vacinados obrigatoriamente contra as seguintes enfermidades: Cinomose, Raiva, Parvovirose, Hepatite, Leptospirose sorovares Canicola, Icterohaemorrhagiae e Leishmaniose.

O momento que deve ser aplicado essas vacinas, doses de reforço e a revacinação deve ser recomendado pelo veterinário de sua confiança.

No HVU-UEMA recomendamos que a primo vacinação (primeira dose) contra Cinomose, Hepatite, Parvovirose e Leptospirose sorovares Canicola, Icterohaemorrhagiae e Parvovirose, seja feita a partir de 45 dias de idade, fazendo quatro doses de reforço com intervalos das doses de 21 dias

Vale ressaltar que a Revacinação deve ser anual para Cinomose, Hepatite, Parvovirose. Em caso de Leptospirose a revacinação deve ser semestralmente. Recomendamos a vacinação contra Raiva em cães com idade acima de 4 meses com a Revacinação Anual.

Ademais, devemos ter uma atenção especial para a prevenção da Leishmaniose, pois neste caso a vacinação deve ser a partir de 4 meses precedido do teste negativo, com intervalo de 21 dias e aplicação de mais duas doses de reforço. Neste caso, a revacinação deve ser anualmente usando como base a data da primeira dose do ano anterior. Recomendamos também, o uso de uma coleira repelente de mosquitos e ectoparasitas a partir de 4 meses como forma de prevenção contra a leishmaniose.

Vale ressaltar, que existem outras vacinas que não são obrigatórias, e que o veterinário deve recomendar de acordo com avaliação realizada em conjunto com o responsável do animal.

No Hospital, recomendamos também a vacinação contra a Coronavirose canina e a Parainfluenza seguindo o mesmo esquema de vacinação da Cinomose descrito acima.

É importante destacar que quando se tratar de cães acima de 4 meses, bastará aplicar apenas uma dose da vacina contra Cinomose, Hepatite e Parvovirose e somente a Leptospirose sorovares Canicola, Icterohaemorrhagiae deverá receber com 21 dias a dose de reforço. Lembrando que a revacinação deve seguir o esquema descrito acima.

Caso ocorra algum atraso ou esquecimento de aplicação das vacinas somente o Médico Veterinário é o profissional indicado para refazer o melhor esquema de vacinação para o seu melhor amigo.

Portanto, para se garantir que o seu cão está protegido e com saúde devemos lembrar que prevenir (vacinar) é melhor do que remediar (tratamento), assim como, a premissa de que não devemos esquecer da data de vacinação estabelecida deve ser cumprida é válida, pois urgências é tudo que não foi providenciado antes e custo do tratamento é muito maior

Este artigo foi produzido pelo Prof. Nordman Wall com a colaboração das graduandas do curso de Medicina Veterinária, Brenda Ferreira e Natália Smith.

*Nordman Wall é médico veterinário e professor da Uema

Foto: Divulgação

Seja o primeiro à comentar em "Prevenir ou remediar – Vacinas a melhor relação custo-benefício"