Adesão do staff de Flávio Dino a Duarte Júnior é “forçada”

O desembarque em massa do staff do governo de Flávio Dino, na campanha do candidato Duarte Júnior, do Republicanos, neste segundo turno é mais do que normal, pois, afinal, todos fazem parte do mesmo projeto político. Primeiro foi uma declaração no Twitter, agora são vídeos explicando o voto.

Mas um aspecto tem chamado a atenção de todos. Não é normal como está sendo feito. As declarações dos secretários são combinadas, até parece que mandaram um texto pronto e em alguns casos até parece coisa “forçada”.

Vejam só a declaração no twitter do secretário de Turismo, Catulé Júnior. É uma espécie de prestação de contas ao governador ou o secretário se sente obrigado em fazer tal declaração pública? “@FlavioDino missão dada é missão cumprida”, escreveu.

A afirmação de Catulé provocou a reflexão do petista Márcio Jardim, aliado do governador Flávio Dino que tratou o assunto como “distribuição de apoios dos candidatos”.

A ideia de Flávio Dino com a adesão em massa do seu staff é mostrar ao eleitor que é necessário uma prefeitura alinhada ao governo custe o que custar.

Uma espécie de ameaça ao eleitor da capital de certa forma, por isso começa a mostrar quem tem a força da máquina pública.

Preocupado apenas com o seu projeto nacional, Flávio Dino não quer mesmo é amargar uma nova derrota, agora no maior colégio eleitoral do estado, pois em Imperatriz, o candidato do PCdoB já foi derrotado.

Bom, mas ai Flávio Dino vai dizer que perdeu, mas ganhou….

Foto: Reprodução

Seja o primeiro à comentar em "Adesão do staff de Flávio Dino a Duarte Júnior é “forçada”"