Edivaldo presta homenagem a cronistas no Nhozinho Santos

Das belas homenagens que já vi, essa do dia 5 de setembro de 2020 ficará guardada na minha memória para sempre como uma das mais justas.

Na reabertura do estádio Nhozinho Santos, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior decidiu homenagear 7 personalidades do futebol maranhense, cada uma em seu tempo e com sua história e que não estão mais entre nós.

A imagem é impactante ao chegar no setor de cadeiras e confesso que não consegui conter as lágrimas.

Foram homenageados com os nomes nas cabines de transmissão das rádios os cronistas Roberto Fernandes, Herbert Fontenele, Deny Cabral, Juraci Vieira, Adolfo Vieira, Alfredo Meneses e Rony Moreira.

O prefeito Edivaldo fez questão de homenagear os familiares desses grandes homens em cada uma das cabines.

Em seu discurso, o prefeito Edivaldo lembrou os conselhos que pudemos fazer juntamente com o jornalista Roberto Fernandes, na última visita ao estádio, sobre a importância de melhorias na obra no Nhozinho Santos.

O nosso muito obrigado ao prefeito pela homenagem e reconhecimento da história que todos eles contaram por anos e anos nesses 70 anos do nosso charmoso e querido Estádio nhozinho Santos – o Gigante da Vila Passos.

Fotos: Zeca Soares

4 comentários para "Edivaldo presta homenagem a cronistas no Nhozinho Santos"

  • MARCELO BRANDÃO

    Não dá para agradar a todos,tudo bem!!! mas pelo bom sendo e pela história história JAYRON RODRIGUES merEcia justa homenagem,tem uma história mais longa e dinâmica em relação a alguns homenageados sem depreciação aos mesmos,apenas conhecimento de fatos sem privilégios de palminhas nas costas

    • Zeca Soares

      Cara sinceramente vc só reclama de tudo. Homenagem é homenagem. Nunca se agrada a todos.

  • Dney

    Antes tarde do que nunca, demorou mais saiu. Um ano em oito, entretanto mais uma praça inaugurada.

  • Jose Luis Rosendo

    Zeca Soares,

    Muito bom o seu texto. Realmente, precisávamos daquele estádio reformado. Ali a emoção é mais latente, os jogos mais envolventes, diferentemente, do Castelão.
    Boa homenagem à todos, incluindo o Deny Cabral (José Bartolomeu Cabral, o “Deny” era nome artístico), meu amigo pessoal (estudamos juntos) e que chegou a me dar uma força, quando entrei como plantonista na equipe de esportes do Magno Figueiredo, lá atrás. Só não continuei, porque passei num concurso público federal e achei mais cômodo, ter meus finais de semana livres.

    Abraços,

    Luis Rosendo