Sede sitiada

Sede1

Os problemas do Sampaio ultrapassaram as barreiras das quatro linhas. Com sua propriedade invadida por um grupo de sem-terra, em um imbróglio que se arrasta por quase um mês, o clube Tricolor acumula uma série de prejuízos, desde financeiros, até aspectos que atingem o lado técnico da equipe.

Sem a segurança devida, a equipe deixou de treinar em seu CT, tratar os atletas no departamento médico e, muito menos concentrar para os jogos importantes da Série B, por estar com o seu terreno sitiado por invasores.

“Entendo a situação das pessoas que estão tentando se apropriar do terreno do Sampaio, mas preciso defender os interesses do clube. Trata-se de uma propriedade privada e esse direito precisa ser respeitado. Não tenho dúvidas de que essa motivação, além de financeira, apruma pelo lado político para me atingir”, afirmou o presidente Sergio Frota, insatisfeito com os contratempos causados pelas ocupações irregulares.

Sede2

Sem poder usufruir do seu CT para organizar suas atividades diárias, o clube se vê obrigado a arcar com custos extras para manter a rotina de treinos: “Fizemos um grande esforço para melhorar a estrutura do CT. Reformamos nossas acomodações para oferecer uma concentração confortável aos nossos atletas, e agora estamos sendo obrigados a ter essas despesas a mais por conta da total falta de segurança e sensibilidade”, ressaltou o presidente.

Frota lamenta os fatos ocorridos durante o processo de desapropriação, mas ratifica o seu intuito de que seja respeitado apenas os limites de uma propriedade privada: “A situação chegou a um ponto que já houve até uma morte. Eu lamento muito por esse ocorrido. Mas, é preciso evitar novos fatos desagradáveis, e que se aplique a lei e se garanta o direito à propriedade do governo”.

De tudo que foi dito acima e publicado no site do Sampaio, a diretoria do clube deveria ser mais incisiva e cobrar de fato do Governo do Maranhão por meio da Secretaria de Segurança Pública o cumprimento da ação de desocupação da sua área que foi invadida. Sérigo Frota que é deputado estadual deveria fazer um pronunciamento na Assembleia Legislativa e cobrar de forma mais explicita a solução do problema.

9 comentários para "Sede sitiada"

  • Arthur

    Realmente o presidente Sérgio frota deve combrar do Governo do Estado a solução do problema, pois a Polícia tem que ir lá no CT do Sampaio e retirar esses ivasores e não adianta demorar porque senão eles vão acabar tomando conta de toda a área.

  • Tricolor

    Não sei onde estamos vivendo que nessa terra ninguém toma as providências de tirar esses invasores de uma área particular. Que absurdo Zeca Soares você não concorda comigo??

    • Zeca Soares

      Verdade é um absurdo essa situação.

  • João Filho

    Zeca, enquanto Sergio Frota que está deputado não tem forças para retirar esses desocupados, imagina EU que sou um simples Radialista & Jornalista. Cadê a secretaria de segurança do estado? Se fosse manifestações, tinha polícia até no céu. vai entender! kkkk

  • JUNIOR

    IMAGINA SE N FOSSE O SAMPAIO E PRESIDENTE DEPUTADO, SE FOSSE UM TERRENO DE OUTRA PESSOA COMUM…NOSSO ESTADO ESTÁ LARGADO!

  • ney

    espero que os torcedores do sampaio não vá fazer o papel do estado !

  • Cesar do Vinhais

    Nós torcedores do Sampaio também temos que nos reunirmos em frente ao Palácio dos Leões e protestarmos contra o governo Flávio Dino, no qual eu tanto apoio se esse episódio não for tratado com o devido respeito e atenção. Os clubes daqui não têm quase nada, sem patrocínio e ainda vem esses bandos de vagabundos e desocupados para invadir esse terreno do Clube, torcida do Sampaio vamos fazer uma mobilização e cobrar do governo um cumprimento da LEI !

  • Antonio Nicolau

    O pior é que todos esses invasores de terrenos alheios, já são possuidores de moradias próprias. Na verdade trata- se de mais uma indústria de invasão, pois os terrenos são todos para serem vendidos pelos chamados “lideranças de invasão”.
    Cabe ao poder judiciário e ao Estado evitar que a indústria da invasão tome conta novamente da Ilha de São Luís, principalmente agora que o governo federal proporciona moradia para os mais carentes.
    Tenho residência perto do terreno do Sampaio Corrêa, e por isso mesmo sou testemunha que mais de 95% dos invasores do terreno que pertence ou pertenceu ao Sampaio Corrêa, já são possuidores de moradia própria.
    Agora que o deputado Sérgio Frota veio a público confirmar a propriedade do dito terreno, esperamos e confiamos que todas as providências legais sejam tomadas para retomar o patrimônio do Clube, o qual vale hoje pelo menos uns 20 Milhões de Reais.