Conversas no Planalto

Assim como no Maranhão (clique e leia), outros Estados também vivem a expectativa de alianças para as eleições de outubro. O mesmo acontece em nível nacional, onde a presidenta Dilma Rousseff (PT) deve reunir, nesta segunda-feira (10), várias lideranças do PMDB. Entre eles os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e do Senado, Renan Calheiros, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, e o presidente do partido, senador Valdir Raupp.

As divergências do PMDB com o PT são por conta dos palanques estaduais em que o PT se recusa a apoiar candidatos do PMDB, como, por exemplo, o Ceará. E, com o governo, a divergência se dá em função das nomeações para os ministérios que cabem ao partido.

No domingo, a presidente já havia passado duas horas com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), e o ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante, em encontro realizado no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

Após o encontro, Temer não falou com a imprensa e se dirigiu para o Palácio do Jaburu, onde o senador Valdir Raupp (RO), do Senado, Renan Calheiros (AL), da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), além do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, já esperavam para alinhar o discurso e assinalar a principais reivindicações da legenda.

Nos últimos meses, a relação do Executivo com o partido tem se deteriorado, o que prejudica votações de interesse do governo no Congresso. Na Câmara, sete partidos da base aliada, liderados pelo PMDB, criaram o chamado “blocão”, grupo para pressionar o Palácio do Planalto e ampliar o poder de negociação com o Executivo.

2 comentários para "Conversas no Planalto"

  • Servidor Público

    Amigos servidores do Estado,

    Gostaria de compartilhar minha revolta contra a Governadora Roseana Sarney, pois a mesma teve a coragem, o descaramento de ir para os meios de comunicações mentir descaradamente que o aumento dos servidores sairia no com o nosso pagamento do mês de Fevereiro o que não aconteceu…

    Em seguida outra mentira, que o mesmo seria dado no 11 de março, através de uma folha complementar, onde mais uma vez não vai ser honrado.

    E por essa razão queria que a governadora tivesse a hombridade e coragem de aparecer na janela do palácio, e que com a mesma cara de pau deslavada que foi para televisão fazer tal promessa. Pois estaremos reunidos (funcionários e sindicado) em respeitos a muitos desses que sairão das suas casas com apenas o dinheiro do transporte para receber esse reajuste salarial mentiroso.
    Companheiros vamos nos preparar de todas as formas, pois ela vai estar por trás de sua polícia que também está revoltada, e os mesmos não podem se manifestar!

    Desabafo de uma funcionária pública.

  • Zé De Pinheiro

    Zeca, gostaria que comentasse a reportagem do Fantástico, sobre aquela safadeza no município de Codó.