Ligações perigosas

sebastiaouchoaUm celular estava sendo usado para que presos do Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, mantivessem contato com representantes do Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário do Maranhão (Sindspem-MA), segundo ocorrência n° 009/2014 da Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão (Sejap).

De acordo com a ocorrência, registrada pela direção do presídio, o celular foi encontrado sob posse do detento, José Jardersom Sá Matias. São suspeitos de manter contato com o preso a diretora do Sindspem-MA, Liana Furtado, e o ex-diretor de Pedrinhas, Raimundo Fonseca.

Segundo o secretário Sebastião Uchôa, Liana Furtado é esposa de um ex-direitor do CDP e já teria ligado para algumas rádios locais dando informações equivocadas de mortes, fugas e motins nos presídios. O marido responde a processo na Corregedoria do Sistema Penitenciário.

fotoLiana (à direita na foto com os deputados Raimundo Cutrim e Eliziane Gama) nega qualquer envolvimento com o caso. “Dou meu celular para o secretário a hora que ele quiser, para que ele mande fazer uma investigação, quebre o sigilo do meu celular, porque nunca recebi ligações desse preso”, garantiu.

O secretário suspeita de uma articulação política para promover terror na penitenciária. “Uma pessoa que trabalhava no Presídio São Luís ouviu conversas de um agente penitenciário dando orientações de como os presos deveriam se comportar para criar terrorismos no sistema penitenciario”, contou o secretário Sebastião Uchôa.

O aparelho e mais três chips, assim como o registro da ocorrência, foram encaminhados para que a Polícia Cilvil e a Corregedoria do Sistema Penitenciário instaurem inquérito policial e sindicância, respectivamente.

Leia mais

Uma resposta para "Ligações perigosas"

  • Antônio Nicolau

    Das duas uma.Ou o senhor Flávio Dino não tem inteligência, ou então ele pensa que todos nós somos burros e ignorantes.
    Fazer torcida para que a PM seja retirada do complexo penitenciário de Pedrinhas, certamente para que o caos e as carnificinas voltem a acontecer, para que o mesmo venha obter vantagens politicas com a situação, é simplesmente revoltante.
    Com essa entrevista á Folha de São Paulo, o senhor Flávio Dino praticamente confessou e ratificou as suas ligações perigosas com as forças ocultas que interagem para que a situação caótica do complexo penitenciário de Pedrinhas não tenha solução.
    Será que uma pessoa que age e pensa assim tem condições de pleitear ser Governador do Maranhão?
    Acredito que não. Quem age assim está perdendo a razão e o discernimento.
    Quem age assim não possui as condições mínimas necessárias para ser Governador de Estado.