Caso Bradesco

honoratofernandesUma comissão formada por sete vereadores vai investigar denúncias de suposto esquema de agiotagem e empréstimos irregulares envolvendo a Câmara de São Luís e o Banco Bradesco e que teria sido comandado por Raimunda Célia de Abreu, ex-gerente do Bradesco. A decisão foi tomada após muita discussão na sessão desta segunda-feira pela manhã.

A comissão terá os vereadores Honorato Fernandes (PT), Fábio Câmara (PMDB), Bárbara Soeiro (PMN), Marlon Garcia (PTdoB), Rose Sales (PCdoB), José Joaquim (PSDB) e Dr. Damasceno (PSL).

“Formamos uma comissão interna que deverá ter 30 dias para fazer os levantamentos sobre o contrato existente entre a Cãmara e o Bradesco e os empréstimos feitos em nomes de funcionários. Este trabalho é muito importante para que possamos passar tudo a limpo e para que não fique nenhuma dúvida sobre nenhum parlamentar”, explicou o líder do governo, Honorato Fernandes.

Sobre o pedido de vista do requerimento do vereador Marquinhos (PRB) que cancela o contrato da Câmara com o Bradesco, o vereador Honorato Fernandes explicou: “É prudente que se espere o fim dos trabalhos da comissão interna. A partir daí, se houver qualquer problema como vem sendo noticiado pela imprensa não restará nenhuma dúvida sobre a necessidade da suspensão do contrato. Aprovar o requerimento e suspeder o contrato antes de uma investigação completa não é o caminho correto neste momento”, afirmou.

Além de Honorato, o vereador Alencar Gomes (PDT) também pediu vista do requerimento de Marquinhos.

O vereador Fábio Câmara (PMDB) defendeu a criação da comissão e a necessidade da Câmara prestar os devidos esclarecimentos à sociedade. “Se fazer empréstimos é perfeitamente legal, então por que se está falando de agiotagem e não de empréstimos legais? São quantos os envolvidos neste caso, na hipótese de haver mesmo aí um caso? Não se sabe ao certo. Porém, enquanto os devidos esclarecimentos não são prestados todos os 31 vereadores são condenados por parte da mídia e pelo julgamento da população, visto que todos nós temos que parecer e sermos honestos”, disse.

Na semana passada, em entrevista ao Blog do Zeca Soares, o presidente em exercício, vereador Astro de Ogum (PMN) afirmou não existir nenhum problema em relação ao contrato entre a Câmara e o Bradesco. Só não entendo é porque criaram uma comissão se o presidente da Casa disse não existir nada. E se existir? Como ficará a situação do Astro?

Uma resposta para "Caso Bradesco"

  • Patrícia

    Que venha à tona toda a podridão existente lá na Cãmara Municipal e que apareçam os nomes daqueles que de fato estão e estiveram envolvidos nessas transações irregulares com o Bradesco.