Sem contrato

barreirasSeis das 15 barreiras eletrônicas instaladas nas principais avenidas de São Luís estão desativadas porque expirou, no dia 30 de agosto, o contrato entre a Prefeitura e a empresa cearense EIT-Trana, responsável até então pela instalação e manutenção dos dispositivos de controle de velocidade dos veículos.

A informação partiu da Superintendência de Trânsito da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), acrescentando que será aberto um procedimento licitatório – com duração de até 30 dias – para a escolha de uma nova empresa para o controle das barreiras eletrônicas na capital. No entanto, a Prefeitura, por meio da pasta de controle de trânsito da cidade, ainda não indicou prazos para o início do certame.

Segundo o superintendente de Trânsito da SMTT, Gilberto Sátiro, os equipamentos de monitoramento de velocidade dos veículos precisam ser logo substituídos. “O tempo de vida útil dessas barreiras é muito limitado. É preciso renovar o estoque. Como a antiga empresa administradora das barreiras já se desligou da Prefeitura, é importante escolher outra para efetuar essa troca de equipamento”, afirmou. Ainda de acordo com ele, as barreiras eletrônicas não têm caráter punitivo, mas educativo, no entanto sem atingir o objetivo estimado. “Pelo tempo que elas estão instaladas, as barreiras já deveriam ter tido resultado positivo educacional na sociedade”, afirmou.

O superintendente frisou que as barreiras cujos indicadores de velocidade não funcionam não estão aplicando multas. “Vale lembrar à população que ainda temos barreiras em funcionamento. Há aquelas que não registram velocidade, não aplicam multas, mas existem outras que estão demonstrando a velocidade, logo, precisam ser respeitadas. No momento, os equipamentos em funcionamento estão apenas notificando os motoristas, sem o pagamento de multa, isso até que uma nova empresa seja escolhida”, disse.

O Estado

Seja o primeiro à comentar em "Sem contrato"