Revitalização dos terminais

ilustracao

De setembro de 2013 a março de 2014, os usuários do ferryboat, um dos principais meios de transporte entre São Luís e a Região da Baixada Maranhense e ao estado do Pará, vivenciarão um cenário diferente nos Terminais de Passageiros.

O Governo do Estado, por meio da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), responsável pela gestão dessas estruturas, anunciou a revitalização da Ponta da Espera, em São Luís, e de Cujupe, em Alcântara.

Os investimentos para a reforma são de cerca de R$ 11 milhões e terão como principal objetivo proporcionar acessibilidade, segurança e comodidade aos usuários dos terminais que somam, anualmente, 1,7 milhão de passageiros.

Para atender aos passageiros durante o período de reforma foi montada uma estrutura temporária no estacionamento no Terminal da Ponta da Espera, em São Luís.  No mesmo ambiente foram instalados os escritórios administrativos da Emap e das operadoras dos ferry-boats, os pontos de vendas das passagens, bebedouros e banheiros.

Para abrigar os usuários, foi armada uma tenda de aproximadamente 300 m² com proteção para sol e chuva, e, colocadas cadeiras. Placas sinalizadoras educativas, informativas e indicativas sobre os serviços disponíveis na estrutura foram instaladas. A mesma estrutura temporária será montada também no Terminal de Passageiros do Cujupe, em Alcântara, para abrigar os  usuários durante as obras.

2 comentários para "Revitalização dos terminais"

  • Paulo Scott

    Zeca, há viagens de São Luis para o Pará, via ferry?

  • Verdade solene

    Tem que haver uma política, em Cujupe, para retirada completa ou relocação dos vendedores ambulantes do pátio que deixam o local com uma aparências dos infernos (Parece a ex praç adeodoro, hoje camelódromo de São Luís). Aliás, se quisessemn fazer algo sério mesmo, deveriam mandar destruir os casabres que estão à beira da estrada, logo na chegada a Cujupe, e deslocar todo aquele pessoal para outra área, já que aquilo é tão estreito, mas tão estreito que inviabiliza grandes transportes e envergonha o Brasil dada a bagunça recorrente no Maranhão. Em resumo, é revitalização meia boca como quase tudo que é feito no estdo.