Milton Nascimento em São Luís

miltonnascimento

Um dos maiores cantores e compositores da música brasileira, com reconhecimento e prestígio internacional, Milton Nascimento é muito mais que um artista, ele é o autor da trilha sonora do povo brasileiro nas últimas cinco décadas.

No meio de tantos sucessos que somados contam com mais de 400 canções, Milton, faz show em São Luís, dia 07 de setembro, a partir das 21h, no Centro de Convenções, Gov. Pedro Neiva de Santana, apresentando a sua turnê “Milton Nascimento – Uma Travessia”. Para homenagear São Luís, em sua véspera de aniversário, o cantor, convida seus dois parceiros para participações especiais no evento, os músicos Wagner Tiso e Lô Borges.

Desde o Festival Internacional da Canção de 1967 quando Milton classificou três músicas de sua autoria (Maria Minha Fé, Travessia e Morro Velho) que desponta no cenário mundial como um dos mais importantes músicos brasileiros de todos os tempos. Mas o ponto inicial de sua carreira aconteceu mesmo em 1962, quando ele se juntou ao amigo Wagner Tiso para fundar o conjunto de baile W’s Boys. O grupo, com sede em Alfenas (MG), era um dos mais requisitados do sul de Minas.

Ainda em 1962, Milton participou de outros grupos, principalmente após sua mudança para Belo Horizonte, onde permaneceu até 1966, quando foi para São Paulo disputar o Festival Nacional da Música Popular (TV Excelsior). Neste festival, ele ganhou o prêmio de melhor intérprete com “Cidade Vazia”, música de Baden Powell e Lula Freire. Milton ainda ficou em São Paulo até 1967, quando se mudou definitivamente para o Rio após a consagração de Travessia no Festival Internacional.

De seu cancioneiro, surgiram não apenas músicas marcantes, mas hinos essenciais. Ao se pensar em amizade, por exemplo, como não recorrer a Canção da América? E o reflexo da guerreira Maria, Maria que se esconde em cada mulher? Milton exalta a negritude, canta o homem trabalhador, sonda a solidão e a morte, o credo e a repressão. Coração de estudante é um emblema da abertura política ocorrida no país nos anos 1980. Trens de ferro, bicas nos quintais e oratórios fazem parte dos infindos passeios do menino deslumbrado pelos sons de sua Minas Gerais, da África e da América Latina. Com 70 anos e meio século de trajetória artística, o cantor voltar-se para sua obra, de mais 400 canções, percebendo que existe um pouco dele em cada um de seus admiradores.

Após um concerto no badalado Lincoln Center, em Nova York, no dia 24 de junho de 2011, o crítico Jon Pareles, do jornal The New York Times escreveu: “Milton Nascimento, tesouro nacional”.

Um ano depois, em 2012, Milton fez uma turnê que teve mais de setenta shows com lotação máxima na América Latina e na Europa. Participou ativamente da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20) e gravou um DVD na casa de shows Vivo Rio. Ainda em 2012, participou de uma cerimônia em Las Vegas onde recebeu o quinto Grammy de sua carreira, o badalado “LifeTime Achievement Awards”.

E o artista continua na estrada e, além de uma dezena de gravações realizadas em estúdios do mundo inteiro, – ele acumula ainda um significativo número de milhas em viagens com sua banda nos últimos dois anos: Istanbul, Montreal, Porto Alegre, Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Lima, Seattle, San Francisco, Lisboa, Porto, Copenhagen, Nova York e Londres.

Em 2013, a Turnê “Milton Nascimento – Uma Travessia” deve passar por toda América do Sul, Europa e Estados Unidos. “Tenho certeza de que vai ser uma das melhores turnês da minha vida”.  – avisa o cantor.

Milton Nascimento é daqueles artistas que nunca se preocuparam com a distância, muito menos com o tamanho do lugar. Assim, como nunca se cansa de repetir: “Vou onde me chamam”.

Os convites do evento em São Luís estão disponíveis na Central da Folia (Jaracati Shopping) e no site www.dringresso.com.br. O Setor Bronze custa R$ 120, a Prata R$ 160, o Ouro, R$ 180.

Foto: Marcos Hermes

Uma resposta para "Milton Nascimento em São Luís"

  • Verdade solene

    Beleza. Milton, muito bom. Só uma perguntinha aos maranhenses: Gostaram do preço? R$120,00 menor valor? Hummmmmmm, barato? Então porque nosso povinho reclama tanto de pagar R$20,00 para ir ao estádio de futebol? E olha que tem até promotor de justiça dando carteirada no Castelão para entra de graça. Façam o mesmo com o Milton e vejam se conseguem, bando de sanguessugas!