Resistência dos médicos

protestopadilha
Uma coisa está clara: gestores municipais e a população está apoiando o programa Mais Médicos anunciado pelo Governo Federal após os protestos que tomaram conta do país no mês passado.

Ontem, durante evento em São Luís, o ministro Alexarande Padilha foi direto aos médicos que realizavam um protestos: “Este não é um programa para trazer médicos do exterior, mas para levar médicos para o interior do Brasil”.

Até aqui, 13.857 médicos já se inscreveram no programa Mais Médicos. Destes, apenas 1.156 são do exterior.

Demonstrando resistência, os médicos voltam a realizar manifestações em todo o país nesta terça-feira (23), incluíndo São Luís com um ato às 15h.

Eles voltam a protestar contra o programa Mais Médicos.

Foto: Biné Morais/ O Estado

2 comentários para "Resistência dos médicos"

  • Gusmao

    Acho natural que os médicos, assim como quaisquer outras categorias, vão a luta sempre que entenderem ser necessário defender seus espaços na sociedade. Afinal, São seus postos de trabalho que serão ocupados. E isso nenhuma outra categoria gostaria. Esse é o ponto. Não é nada de preocupação com a falta de condições dos hospitais do interior do país, para o exercício de uma boa medicina. São poucos, muito pouco mesmo, aqueles que realmente se incomodam com situação de abandono em que se encontra a população brasileira na questão saúde.

    Quem é que não sabe ou não conhece a situação dos hospitais públicos deste país. Se a questão é somente a falta de condições de trabalho, equipamentos, medicamentos, et cetera , et cetera, por que só agora, quando o governo federal decidiu contratar médicos estrangeiros, se uniram para reclamar?

    • César de Souza Neucamp

      Quando o povo vai as ruas e a principal queixa é a saúde e a corrupção, você espera que o governo escute o clamor das ruas e adote medidas concretas para melhoria na saúde. Essas medidas são claras:
      – aumento dos recursos destinados à saúde: pois o governo investe 50% do MÍNIMO necessária para manter os serviços já existentes, não se fala nem em ampliação, mas em manutenção, quando o governo fala em ampliação de serviços sem aumentar os recursos de forma permanente, nós já sabemos do final disso tudo: PIZZA!
      – criação da carreira de médico de estado: carreira que daria a segurança necessária para que o médico se instale no interior, pq hoje em dia o prefeito, responsável pela contratação, costuma ser um corrupto incorrigível e caloteiro, que utiliza o médico para fins eleitoreiros, visando unica e somente o voto, demitindo ao bel prazer o médico que não for conivente com a desgraça que ele próprio cria e o povo aceita.

      Por ultimo, os médicos sempre reclamaram, sempre participaram das comissões governamentais com propostas para resolução dos problemas de saúde, isso desde a criação do SUS (em 1988) já é proposto, não é nenhuma novidade

      A atual proposta do governo é uma falácia pra fins eleitoreiros, e a revolta e o fato dela retardar a adoção de medidas realmente eficazes para resolução dos problemas. Somente uma mente muito pequena pode acreditar que para resolver o problema da saúde é necessário ATACAR os profissionais da saúde, no caso agora é o Médico. Ao contrário, devia-se estar pregando a valorização profissional, é a demanda de mercado que atrai médicos, é a concorrência pela formação na profissão que aumenta a qualidade desses profissionais.
      O povo é feito de trouxa mais uma vez, por uma medida eleitoreira e romântica.
      O resultado vai ser menos médicos bem formados para o Brasil, pois quem tem capacidade se mudará para Inglaterra, Australia, ALemanha, EUA e mais médicos BRASILEIROS formados em Cuba (galera do MST) para o Brasil. Porque Servidão não dá certo, liberdade sim.