Buracos tomam conta de ruas do Residencial Pinheiros

[gmc 539784]

Os buracos tomam conta de ruas nos bairros da capital. No Residencial Pinheiros, na Cohama, em alguns trechos, os motoristas são obrigados a mudar a rota para escapar dos buracos.

Há buracos tão grandes que já tomaram a rua de um lado a outro da pista. Na Rua 17, eles estão por toda a parte. Na Rua São Judas Tadeu, no mesmo bairro, um galho de árvore sinaliza o buraco no cruzamento com a Rua 14-A.

O problema de infraestrutura é encontrado por todo o bairro. Na Avenida 2 os moradores colocaram uma placa no poste para sinalizar o perigo. Já outro buraco que fica na rua 9, faz os condutores mudarem o caminho. “É bom complicado. O negócio está horrível, muito buraco. Tem que escolher os menores para cair neles e não nos grandes”, diz Rodrigo Gonçalves, técnico de Segurança.

De acordo com os moradores, o problema já existe há seis meses, mas aumento com as ultimas chuvas. Mesmo com a cratera de um lado a outro da rua, alguns condutores se arriscam a passar pelo local.

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos informou que o trabalho de recuperação das vias já foi iniciado nos trechos mais críticos e que a Avenida Boa Esperança, na região do Residencial Pinheiros está na programação de recuperação.

Leia mais

Uma resposta para "Buracos tomam conta de ruas do Residencial Pinheiros"

  • Verdade solene.

    Zeca Soares e demais frequentadores do blog, boa noite.

    Não amigo Zeca, o problema não vem de seis meses para cá, mas sim dez anos. O Residencial Pinheiros possui uma das piores infraestruturas de nossa capital. Construída pela nada idốnea construtora Dimensão Engenharia possui uma pavimentação que não pode ser tratada como tal, pois não passa de uma fina camada de asfalto de péssima qualidade, sem sustentação.
    O senhor Barbosa, dono da construtora, chegou há menos de trinta anos à São Luís, de mala e cuia como um retirante do Ceará, sem uma profissão definida, para em pouco tempo, com artimanhas mil,tornar-se milionário aqui construindo mal, com péssima qualidade com aval da Prefeitura municipal, do Crea, da Caema e, principalmente, da Caixa Econômica Federal. Deveria ser profundamente investigado pela polícia e Ministério Público.
    O Residencial Pinheiros é a maior prova do desprezo para com as normas com que se constroi casas e apartamentos de qualidae duvidosa nesta cidade. Para você ter uma ideia, o sistema de esgoto do citado conjunto está desabando por completo (Vá ao conjunto e faça uma matéria completa, te desafio!). Os canos que levam os dejetos casas abaixo foram subdimensionados (150mm) e há flagrante crime ambiental, pois os mesmos são despejados in natura na entrada do conjunto na Avenida Projetada. Para completar o tal esgoto é dirigido por baixo de algumas casas localizadas entre a Avenida 1 (em frente ao mercadinho e panificadora Pinheiros) e a praça dos pássaros (INCRÌVEL). O projeto foi aprovado pela CEF à margem das normas mais pertinentes e caberia uma investigação séria.
    O senhor Barbosa foi por diversas vezes indagado por moradores sobre a péssima qualidade do empreendimento, e para uma senhora adimitiu que realmente o conjunto não era lá essa coisas, pois houve até queda de parte de uma casa na avenida 1, além de muros em outras regiões. Trata-se de um tremendo engodo ao contrário da caríssima propaganda feita para vender o “produto” em que dizia: “EIS A DIMENSÃO DO NOSSO RESPEITO”. Uma piada, nada mais. Para ele, o Barbosa, o Pinheiros estaria bem localizado e isso justificaria o investimento.
    Assim, a população é tratada pelo senhor Barbosa, alguém que a bem pouco tempo nada tinha na vida, mas ostenta hoje uma riqueza absurda, com carrões Ferrari e helicóptero com o qual se desloca até para trabalhar como se São Luís fosse São Paulo. Ser rico não é pecado, mas à custa da boa fé do povo maranhense é demais. É um vivaldino que zomba de nossas caras simplesmente.