Prefeitura discute medidas para melhorar o trânsito

transitoO prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, reuniu-se nesta terça-feira (12), com parte da equipe de governo para discutir ações que possam melhorar o trânsito da capital. A reunião faz parte de uma série que vem ocorrendo desde o início da gestão e visa, emergencialmente, encaminhar medidas específicas que possam amenizar os problemas de mobilidade na cidade.

Na audiência foi discutida a implementação do Plano de Ação Imediata de Intervenções para o Trânsito (PAIT), que deve ser anunciado em breve e conterá 18 intervenções que permitirão melhorias eficazes no setor.

“O trânsito é um dos grandes entraves existentes hoje em São Luís. Nesse sentido, estamos tratando com absoluta urgência soluções para este caso”, enfatizou o prefeito Edivaldo.

Na ocasião, a secretária de Trânsito e Transportes, Myrian Aguiar, adiantou que alternativas de ligação entre os corredores estão sendo testadas. “Algumas nós já colocamos em prática em pontos de estrangulamento da cidade, fazendo alterações na geometria e na sinalização que visam necessariamente dar maior fluidez”, disse.

Foto: Honório Moreira

6 comentários para "Prefeitura discute medidas para melhorar o trânsito"

  • Gojoba

    fala para secretaria fazer uma intervenção nesse acesso do prolongamento da litoranea o acesso e pequeno e é mão e contra mão e vai para uma rua estreita tanto para quein pega a litoranea quanto para quein volta.

  • Miss Thelrys

    GENTEEE!!!!!!
    Esse problema de transito começou agora?
    Esse governo teve tantoto tempo pra discutir medidas….. ja era pra colocar essas medidas em açao.
    Tanta promessa e nada. Aff.
    Olha Castelo, foram so 4 anos. e parece que esse ai tambem vai ser.
    Ninguem merece

  • Arthur Victor

    Acho que sua crítica ao trânsito surtiu efeito, Zeca.
    Este é o bom jornalismo, que trabalha a favor da sociedade.

    • Zeca Soares

      Obrigado, Arthur Victor.

  • José Carlos Lobato Oliveira MAQUEANO

    Esses politicos nunca visualisam o futuro. Liberam construção de apartamentos à beira das principais avenidas… no cohafuma mesmo, perto do sebrae, tão fazendo apartamentos, já inviabiliza uma futura ampliação das avenidas e outra coisa sem noção é o supermercado mateus que fica dentro de um retorno na guajajara.

  • A verdade solene

    O maior problema do trânsito da capital maranhense está na absoluta falta de visão, de futuro, dos nossos políticos com o consequente planejamento a curto, médio e longo prazo. Tenho dito que não faltam fórmulas mirabolantes para se resolver o problema. Contudo, soam como paliativos porque decerto surtirão efeito temporário. Os custos seriam elevádíssimos caso as principais avenidas sofressem uma reengenharia, sobretudo porque indenizações caberaim aos donos de imóveis para que fossem satisfeitas as exigências legais. Ora, imaginem todos que, segundo fontes oficiais, a avenida mais congestionada da cidade é a Guajajara que vira Jerônimo de Albuquerque e depois Colares Moreira (se bem pesado e medido formam uma só), sobretudo no trecho angelim viaduto da Cohama. Nela, só nesse trecho denominada Jerônimo de Albuquerque, muitos imóveis avançaram a linha, tais como Hospital São Domingos e Dalcar veículos. As indenizações decorrentes da derrubada de parte ou totalidade desses imóveis e outros mais esvaziariam os cofres públicos porque houve, ao longo do tempo, uma valorização desproporcional dos mesmos. As coisas ocorrem no Maranhão como se aqui não houvesse lei, prevalecendo o mais forte que, a bel prazer, faz o que bem entende. A coisa pública é tratada com desdém e o “direito” privado sobrepõem-se ao público com muita facilidade, ou melhor, com muita politicagem. Nesse manancial da águas turvas podemos ver que a cidade cresce há muito sem planajamento. Hoje vemos uma região como Olho D’água no sentido Raposa sendo cobiçada de tal forma que os empreendimentos imobiliários ocupam espaços diversos e sem uma linha fixa e demarcatória de limites à beira de uma estrada, a saber uma rodovia estadual, que, dizem, em breve será duplicada – cairá na mesma situação das citadas anteriormente se nada for feito desde já, se é que já não é tarde demais. Mesmo antes da Raposa, por exemplo, na região após o empreendimento Alphaville e depois da entrada da “invasão” do Pirãmide (porque assim nascera como a maioria dos bairros de São Luís, favela) há uma casa que se estabeleceu simplesmente em cima do meio fio e ninguém diz absolutamente nada. Fica bem próximo a uma estátua de um, aparentemente índio tentando lançar um disco (coisa bem louca). Pois é onde estão os responsáveis pela administração do município de Raposa, na verdade algo não sui generis porque juntam-se a ela,e tal coisa ocorre com frequência, Passo do Lumiar, São José de Ribamar e S. Luís (uma bagunça só).
    Enfim, o espaço é escasso para manifestação de pensamento, mas falar do trãnsito desta capital, ou melhor, da sua zona metropolitana é tarefa tão árdua que fico com a seguinte opinião: MELHOR UMA NOVA CAPITAL, PLANEJADA E LONGE DESTA ZORRA, pois assim foi construído Palmas e parece que vai dar um banho nos próximos 50 anos em cidades tão problemáticas quanto a nossa. É viver muito e esperar um futuro, se é que ele existe.