Semus supera crise

edivaldo
Em pouco mais de 30 dias, a Secretaria de Saúde (Semus) superou o acúmulo de problemas da gestão anterior: dívida de R$ 50 milhões; atrasos em salários de médicos, enfermeiros, agentes de saúde e servidores; falta de alimentação e médicos nos hospitais Socorrão I e II e sucateamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Por determinação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a secretaria adotou critérios que proporcionaram a organização do fluxo de atendimento, encaminhando pacientes para os hospitais de urgência/emergência de São Luís, antes atendidos indiscriminadamente nas unidades de saúde do município sem nenhuma regulação.

À normalização do fornecimento de alimentação e medicamentos nos “Socorrões”, seguiram medidas, como a reestruturação do Samu, ampliação do número de leitos de atendimento a pacientes dos hospitais de urgência/emergência, e equacionamento do pagamento dos salários em atraso dos servidores da área da saúde.

Diante da total desorganização burocrática que imperava até então na Semus, a Prefeitura não teve como efetuar o pagamento dos agentes de saúde e combate às endemias nos primeiros dias do mês de janeiro. A normalização do pagamento foi possível sob a orientação e tutela da Controladoria e Procuradoria Geral do Município que também passaram a auditar todas as relações de pagamento de fornecedores para que os processos sejam realizados com lisura.

A aquisição de novas ambulâncias proporcionou um salto no número de atendimento. No primeiro mês de 2013, o crescimento de atendimentos pelo Samu dobrou. Janeiro superou em mais de 50% o número de ocorrências registradas, foram quase cinco mil, contra pouco mais de duas mil no mês de dezembro de 2012.

A sanitização do ambiente hospitalar foi restituída. Primeiramente no Hospital Djalma Marques (Socorrão I). Ao mesmo tempo foi dado continuidade à melhoria nas acomodações dos acompanhantes, colocação de novos coletores de lixo adequados e reforço na segurança de ambientes anteriormente vulneráveis nestas unidades hospitalares.

Como parte do trabalho de “desafogamento” dos hospitais de urgência/emergência do município, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior firmou parceria com a Santa Casa de Misericórdia para criação de leitos de retaguarda. Garantiu com isso que os pacientes com problemas ortopédicos fossem transferidos do Hospital Dr. Clementino Moura (Socorrão II) para a Santa Casa.

5 comentários para "Semus supera crise"

  • George

    Que bom que começaram a trabalhar e deixaram o chororô de lado.

  • Tony

    Realmente o sue percebemos é que aos poucos alguns setores começam a funcionar no governo Edivaldo como por exemplo a saúde.

  • Tony

    De fato melhorou sim.

  • CESAR FM

    SE FOR VERDADE;PARABÉNS!

  • Saulo

    As coisas estão mudando na saúde em São Luís basta ver que as filas nos Socorrões praticamente acabaram, mas não é motivo para comemorar, pois nós escolhemos o prefeito Edivaldo foi para isto mesmo porque ninguém suportava mais o ex-prefeito Castelo.