Tradição no Carnaval

carnaval

A tradição foi mantida no circuito de Carnaval de rua de São Luís, na noite desta sexta-feira (8). Manifestações populares diversas participaram do “Cortejando a Madre Deus” e abriram a programação festiva nos seis pontos de apresentações: Beco das Minas, Vila Gracinha, Praça da Saudade, Beco do Gavião, Ponto de Fuga. O desfile de grupos foi iniciado por volta das 18h. Os foliões faziam paradas nos ‘pontos de som’ e seguiam com a batucada pelas ruas do Passeio, São Pantaleão, Praça da Saudade até o Largo do Caroçudo.

A secretária de Estado de Cultura, Olga Simão, também colocou o bloco na rua e convidou secretários de Estado a se vestirem com fofões. O bloco partiu do Beco das Minas e de lá desfilou pelas ruas. “Nós já fizemos alguns cortejos da Praça Deodoro até a Praia Grande e agora estamos aqui, na Madre Deus, participando desta linda festa vestidos de fofões, que é um personagem tradicional do Carnaval do Maranhão. Convocamos todos a vestir a fantasia e a vivenciar a tradição do carnaval”, afirmou Olga Simão.

Ao bloco, aderiram secretários como José Antônio Heluy (Trabalho e Economia Solidária), Luiza Oliveira (Direitos Humanos e Cidadania), além de Ceres Costa Fernandes, diretora do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, o deputado estadual Roberto Costa e o diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), André Campos. “A festa está bastante animada, mas não podemos esquecer da nossa responsabilidade de não dirigir, se beber”, declarou André Campos.

Os blocos levaram para o cortejo foliões de todas as idades. A Tribo de Índio Tupiniquins, do bairro Goiabal, levou crianças com idades entre 4 e 15 anos para o circuito, como já faz há 14 anos. “Este ano, estamos homenageando a fundadora do bloco, Maria da Graça, que faleceu há cinco meses. Não poderíamos deixar a tradição morrer”, disse Abazilda Paurá, que faz parte da diretoria da manifestação.

carnaval1
Animação

Na Rua de São Pantaleão, muita gente se fantasiou para participar da festa. Uma das atrações foi a trupe de atores e alunos do curso de Teatro da Universidade Federal do Maranhão, que chamou a atenção com suas performances, comandadas pelo mímico Gilson César. Quem também agitou foram os equilibristas e malabaristas da Companhia Trupe Picadeiro, com sede na Praia Grande.

O circuito ficou ainda mais animado com a alegria e a saúde do bloco Fuzileiros da Fuzarca, que na próxima segunda-feira (11) completará 77 anos. A manifestação, cujos 220 integrantes vestem fantasias nas cores preto e branco, tem à frente a presidente Graça Viana. Ela disse que o integrante mais antigo não pôde ir para as ruas este ano, porque está doente. “O Herberth Balbino é o nosso folião mais velho, mas como ele está doente não pode vir. Aqui temos integrantes de diferentes idades, mas todos com muita animação para dar e vender”, destacou Graça Viana. Uma das animadas era a compositora Patativa.

Fotos: antonio Martins

Seja o primeiro à comentar em "Tradição no Carnaval"