BNDES deve investir R$ 39 mi no patrimônio histórico

edivaldoholanda
O prefeito Edivaldo Holanda Júnior recebeu em audiência nesta terça-feira (29), o gerente de gestão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gabriel Filártiga, acompanhado de técnicos da instituição financeira. Durante a reunião foi anunciada linha de crédito aprovada de R$ 39 milhões para gestão pública à disposição da Prefeitura de São Luís e atividades financeiras voltadas para o patrimônio histórico.

“O BNDES será um parceiro muito importante para a cidade de São Luís nesse momento. Dentro de um mês vamos apresentar alguns projetos de modernização da gestão pública, com possibilidade de haver contratação de mais uma empresa de consultoria. Assim como a Macroplan tem nos ajudado muito, outras consultorias também irão contribuir para implantar um modelo de gestão eficiente e profissional”, prevê Edivaldo Holanda Júnior.

São Luís é a primeira capital do Nordeste a ser visitada pela equipe técnica do BNDES. De acordo com Gabriel Filártiga, a prioridade à região faz parte da inversão de uma tendência histórica do banco.

Sobre a contratação dos recursos para a gestão pública, a previsão é de que aconteça ainda este ano. De acordo com Filártiga, os recursos poderão ser utilizados por qualquer secretaria municipal. No primeiro encontro do prefeito Edivaldo Holanda Júnior com a equipe do BNDES ficou esclarecido que os recursos serão empregados, preferencialmente, na administração tributária, planejamento, entre outras prioridades.

Após a audiência com o prefeito, os técnicos seguiram até a obra de drenagem urbana do Canal do Cohatrac, integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tocada com recursos da instituição financeira por meio do Ministério das Cidades, com cronograma de conclusão previsto para outubro deste ano.

O financiamento do PAC drenagem de valor fixado em R$ 13 milhões é o único contrato que o BNDES mantinha até o momento com a Prefeitura da capital maranhense.

“Houve um atraso no cronograma, mas já foi retomado. A boa surpresa é que, mesmo com a mudança de administração, a obra não sofreu solução de continuidade, segue normal”, disse Filártiga. Segundo o secretário municipal de Obras e Serviços

Centro Histórico

Em relação ao investimento na preservação do patrimônio histórico, o gerente do BNDES adiantou que a instituição vai mediar negociações envolvendo entes federados, com protagonismo da Prefeitura. “Vamos envolver diversos atores que é fazer um investimento no Centro Histórico de São Luís, que é patrimônio da humanidade”, explicou Gabriel Filártiga.

“O Centro Histórico de São Luís tem sido priorizado em nossa gestão, demonstrado desde os primeiros dias de nosso mandato. No domingo passado tivemos oportunidade de acompanhar a limpeza. Isso vai acontecer regularmente. Enfim, mudou a gestão e a forma de governar”, destacou o prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

O secretário José Silveira demonstra confiança na assinatura de novos convênios com BNDES. “Os problemas pontuais que detectarmos juntamente com a equipe do BNDES serão resolvidos de maneira rápida para que a execução da obra seja mais rápida possível”, assegurou Silveira, confirmando o cumprimento do cronograma para outubro deste ano.

O titular da Semosp acredita que a reurbanização do Centro Histórico é muito importante para o comitê gestor do patrimônio. “Com recursos próprios estamos procedendo à limpeza diferenciada na área. Estamos reurbanizando as ruas, colocando bueiros em ordem, desentupindo galerias, revitalizando a iluminação. Queremos dizer à população que essa não é uma ação sazonal. É a presença do município no Centro Histórico”, define o secretário.

Os secretários municipais de Governo, Rodrigo Marques; de Desenvolvimento Econômico e Social, Ted Lago, participaram da reunião.

Foto: Maurício Alexandre

Seja o primeiro à comentar em "BNDES deve investir R$ 39 mi no patrimônio histórico"