Apelo na web

printpost

O diretor do Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), em São Luís, Yglesio Moyses, fez um apelo por doações de alimentos para o hospital na noite desta quinta-feira (10). Em texto publicado em sua página pessoal no Facebook junto com a fotografia de uma lista de gêneros alimentícios básicos como tomate, cebola, batata e etc. (confira a lista abaixo), ele pediu que as doações fossem entregues a partir desta sexta-feira (11), diariamente, das 8h às 17h, na portaria do hospital.

Em entrevista ao G1, Yglesio Moyses revelou ter doado quase 100 quilos de alimentos “do próprio bolso” para evitar mais problemas para fornecer alimentação aos pacientes. Ele disse que a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) tem condições de reverter a situação de calamidade em que se encontram os hospitais municipais, mas isso deve levar alguns dias ou semanas por questões burocráticas. Até lá, o Socorrão I vai precisar de doações.

“O prefeito Edivaldo Holanda encontrou uma prefeitura falida, sem capacidade de responder ao caos da saúde deixado por Castelo. O governo do Estado retirou a ajuda emergencial que tinha dado no final da gestão Castelo e não deu um tempo suficiente para a Secretaria de Saúde do Município ter as ferramentas para reverter a situação”, lamentou.

“É apenas um pedido e, ao mesmo tempo, uma tentativa de conscientizar as pessoas do estado em que o ex- prefeito deixou a cidade e do quanto é importante que as pessoas se sensibilizem com o problema. O fornecimento de alimentos logo será regularizado, mas eu mesmo tirei do próprio bolso quase 100 kg de mantimentos. Temos que fazer o máximo que podemos com a melhor ajuda que tivermos e olhar pra frente”, finalizou.

Leia mais

7 comentários para "Apelo na web"

  • Silvia

    Se não tem comida para os pacientes o que é então que estão esperando esses novos gestores incluindo imperfeito que só sabe chorares e pedir?

    • Otávio

      Não falta mais nada desse Salvador da pátria do Socorrão.

  • Noleto

    Nota do PSTU sobre a questão municipal – São Luís
    O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) que nas eleições municipais de São Luís lançou a candidatura de Marcos Silva e Kátia Ribeiro, obtendo mais de 2% dos votos válidos e que declarou voto nulo no 2º turno, vem por meio desta nota divulgar sua posição política em relação aos últimos fatos relacionados ao final do mandato de João Castelo e início da gestão Edvaldo Holanda.

    Prisão para Castelo e sua trupe ! Respeito aos servidores municipais!

    Os servidores municipais de São Luís amargaram no final de 2012 mais um calote da administração de João Castelo, do PSDB. Todos os trabalhadores da prefeitura tiveram seus pagamentos de dezembro cancelados após o prefeito derrotado nas eleições ter deixado um rombo nos cofres da Prefeitura.

    No final do mandato, o prefeito João Castelo priorizou o pagamento de fornecedores e empreiteiras, ou seja, seus doadores de campanha que após a derrota eleitoral não poderiam ficar no prejuízo. Além disso, os serviços básicos de saúde, educação e trânsito estão sucateados e a dívida do município está em torno de R$ 800 milhões, uma mostra do caos instaurado na cidade nos quatro anos da administração castelista.

    O ex-prefeito João Castelo (PSDB) tem total responsabilidade sobre a situação caótica e a sua derrota eleitoral foi a expressão da insatisfação da população com seu (des)governo. Diante das improbidades e dos casos de corrupção trazidos à tona é preciso ir além e exigir a responsabilização criminal pelas atrocidades cometidas à frente da Prefeitura. Por isso, nós do PSTU defendemos punição exemplar aos responsáveis: Prisão para Castelo e sua trupe!

    É preciso exigir das instituições públicas, principalmente da Polícia Federal e do Ministério Público, uma investigação completa e rigorosa da antiga administração João Castelo, que garanta também a devolução aos cofres públicos de todo dinheiro, onde for comprovado fraude, corrupção e desvios. Não é possível manter a postura de omissão e descaso verificada na comissão de transição do atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior/Roberto Rocha, onde seria possível evitar absurdos, como o atraso dos salários dos servidores.

    Também discordamos da proposta absurda de parcelamento do salário de dezembro em três parcelas feita pelo prefeito Edivaldo Holanda (PTC) por ser prejudicial aos trabalhadores, que já sofrem com o arrocho salarial e a falta de uma política de valorização. Além de evitar, o atual governo tem a responsabilidade de buscar os recursos necessários, seja com orçamento próprio ou junto ao Governo Federal, sem penalizar os servidores.

    Os governos mudam, promessas são feitas, mas tudo continua como sempre. A responsabilidade fiscal fica acima dos direitos dos trabalhadores, embora para os grandes empresários não existam limites para o Estado se endividar.

    Nós do PSTU acreditamos que os servidores municipais merecem ser tratados com mais respeito. Há servidores contratados que estão com 8 meses em atraso, há escolas sem aulas devido à falta de segurança, pois os vigilantes estão com 3 meses de salários atrasados. Basta de atrasos! Pagamento integral já!

    Neste início de ano conclamamos os servidores, suas entidades e a população ludovicense em geral para se mobilizar exigindo a responsabilização dos culpados pelo caos instaurado na cidade e impedir que os trabalhadores sejam injustamente penalizados por esta situação criada pelos governantes.

    Prisão para Castelo e sua trupe!
    Basta de atrasos! Pagamento integral já!
    Nenhum direito a menos!

  • Adamastor Cruz

    Caro Zeca Soares, seu Yglesio Moyses, que foi candidato a vereador, mostrou com todas as letras o início desastroso do início de gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Pedir comida para pacientes de hospital público é inédito no Brasil. Para que teve, seu Zeca, a tal comissão de transição? Não detectou o problema antes? Não viu que a situação era caótica como o então candidato Holanda disse durante a campanha? Então por que não tomou as devidas providências? Não teve a parceria com o governo do Estado? Seu Moyses apenas expôs a falta de competência do governo a que serve. Daqui a pouco vão pedir paneiro de farinha para os doentes que chegam do interior do Estado. Será que essa administração tem condições de administrar São Luís com um milhão de habitantes? O apelo por comida de seu Moyses para o Socorrão tá dizendo que não.

  • CESAR FM

    Não se pode tapar o sol com a peneira, votei em castelo, não escondo, não sei se é verdade tudo isso que escrevem sobre o governo dele, Espero que venha a publico defender-se senão com certeza nunca mais terá meu voto, sei que talvez pouco importa a perda de um voto mais se todos que votaram nele tiver o mesmo pensamento, com certeza a carreira política estará para sempre morta e enterrada”. Quanto ao prefeito eleito, que só decretar calamidade publica de São Luís, que ele esqueça o Carnaval e aplique o dinheiro disponível para a festa nas situações emergenciais de nossa capital

  • Marcelo

    Sem dúvida um belo exemplo.

  • Paulo Cohama

    Da minha parte não sai nenhum grão de arroz. Enquanto isso a senhora Gardeninha está passeando com as suas belas secretárias.