Delegado acha ‘avalanche’ de fraudes contra Elias e Mojó

O delegado Carlos Alberto Damasceno que preside o inquérito da morte do empresário Marggion Laniere Ferreira disse em entrevista ao Rádio Patrulha, apresentado pelo repórter Domingos Ribeiro, na Rádio Mirante AM que a documentação apreendida na imobiliária de propriedade do corretor de imóveis Elias Orlando Nunes Filho e do vereador de Paço do Lumiar, Júnior Mojó apontam uma “avalanche” de novas fraudes contra proprietários de lotes na região do Araçagi nos últimos 20 anos.

Damasceno disse que também foram feitas apreensões de documentos também nas residências dos dois sócios suspeitos de terem mandado matar o empresário Marggion.

– Após o término do inquérito que apurou a morte do Sr. Margion, nós executamos quatro mandatos de busca e apreensão, sendo um deles na Imobiliária Territorial de propriedade do Elias e do Júnior Mojó (que são sócios), também nas residências de ambos e na residência de um serventuário do Cartório de São José Ribamar. Muita documentação foi apreendida em especial na casa do vereador Júnior Mojó, documentação esta que está sendo analisada, periciada e documentação que nos trás uma avalanche de novas fraudes envolvendo este indivíduo que na verdade pratica uma insegurança jurídica contra as pessoas que adquiriram áreas nos últimos 20 anos no Araçagi – afirmou.

O delegado disse que Elias e Mojó fazem parte de uma “quadrilha”, mas que existem outras pessoas envolvidas e que os nomes serão divulgados no momento oportuno.

– Eu chamo de quadrilha porque vocês vão em algum momento tomar conhecimento quando os nomes forem declarados, muitos outros integrantes estão aparecendo. Essas pessoas falsificavam documentos junto a cartórios ou detro dos próprios cartórios. Eles faziam com que estes documentos virassem registro de imóveis dando a propriedade a eles e a partir dessas propriedades fragmentavam, desmembravam essas propriedades maiores em lotes menores e passavam a comercializar. E comercializavam vendendo para uma, duas, três, quatro… dez pessoas. Eles vendiam o lote para um indivíduo que deixavam lá, quando ele descobrir já tinha um outro dono. E esse dono descobria um segundo dono, e assim por diante, um terceiro, enfim – contou.

Com base no inquérito presidido pelo delegado Carlos Alberto Damasceno, a polícia pediu a prisão preventiva do corretor de imóveis Elias Orlando Nunes Filho e do vereador de Paço do Lumiar, Júnior Mojó, mas até o momento a Justiça ainda não se posicionou sobre o caso.

2 comentários para "Delegado acha ‘avalanche’ de fraudes contra Elias e Mojó"

  • Igor Tempestade

    MEU AMIGO ESTE RAPAZ ESTAVA RECENTEMENTE TRABALHANDO PARA UM SENHOR CHAMADO JORGE HENRIQUE(DA ANTIGA SANTA MONICA E RECENTEMENTE ELE CRIOU UMA OUTRA IMOBILIÁRIA DE FACHADA CHAMADA CONAAT). ESTE SENHOR TEM UM DOCUMENTO EM QUE O IRMÃO DELE PAULO ROBERTO (QUE TAMBÉM É O ANTIGO SÓCIO NA IMOBILIÁRIA SANTA MONICA), É DONO NADA MAIS E NADA MENOS DO QUE 8KM² DE TERRAS (NA RAPOSA), QUE ATÉ A BASE DA AERONÁUTICA DE ALCÂNTARA SE ENCONTRA DENTRO DELE, O LIMITE DESTE TERRENO VAI ATÉ O FAROL DO ARAÇAGI E COMEÇA DENTRO DO MANGUE, DE POSSE DE UMA PROCURAÇÃO DE JORGE HENRIQUE E PAULO ROBERTO O JÚNIOR MOJO, COM VÁRIOS POLICIAIS MILITARES E PISTOLEIROS DE ALUGUEL INVADIRAM COM UM TRATOR PATROL VÁRIOS TERRENOS CERCADOS E CUIDADOS PELOS DONOS DO MESMO, NO BAIRRO CHAMADO ALTO DA BASE, TOMARAM VÁRIOS TERRENOS E COM O APOIO DE RICARDO DUAILIBE(DA IMOBILIÁRIA), DERAM UM GOLPE DE MESTRE NUM MORADOR CHAMADO NONATO(DIZEM QUE É FUNCIONÁRIO DE REMI TRINTA) E DOIS PRÁTICOS (QUE ESTÃO NO TERRENO A MAIS DE 15 ANOS), QUE POR SINAL TAMBÉM OS SEUS TERRENOS FORAM INVADIDOS RECENTEMENTE POR CAPANGAS ARMADOS DE SEU JORGE QUE AGORA VAI PESSOALMENTE COM SEUS PISTOLEIROS AMEAÇAR CADA MORADOR, RECENTEMENTE O SENHOR JORGE HENRIQUE COLOCOU PLACAS DE PROPRIEDADE PARTICULAR EM NOME DA CONAAT, EM TODOS OS TERRENOS SEM MURO EM TODO BAIRRO ALTO DA BASE(QUE NÃO É PEQUENO) NA RAPOSA.
    EM SEQUÊNCIA DO OUTRO LADO DA PISTA NO SENTIDO SAO LUIS-RAPOSA O SÓCIO DE JORGE HENRIQUE, CONHECIDO PELA ALCUNHA DE MANOEL GRACINDO, REATIVOU A EXTINTA SANTA MONICA E FOI DÁ UM GOLPE CARA DE PAU NO INCRA, ELE ALEGA, E TAMBÉM O MANOEL CUMBIQUE(PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DO CUMBIQUE-QUE DEVIA PROTEGER OS POSSEIROS), QUE, PASMEM, 40 HECTARES DO ASSENTAMENTO DO INCRA É DE PROPRIEDADE DA IMOBILIÁRIA SANTA MONICA, NISSO O MANOEL CUMBIQUE PASSOU A INFORMAR AOS TRABALHADORES RURAIS( E DE CERTA FORMA AMEAÇAR VEEMENTE), QUE O SENHOR MANOEL GRACINDO IA PASSAR COM O TRATOR NAS TERRAS DELES, ISSO TEVE UM EFEITO TÃO DEVASTADOR QUE ALGUNS POSSEIROS SE SENTINDO AMEAÇADOS VENDERAM POR 25.000 REAIS TERRENOS DE 70×200 mts, TODO PLANTADO POR COCO E HORTALIÇAS(APESAR DAS CARTAS DE POSSEIROS OFICIAIS DADA PELO INCRA NACIONAL), PARA O SENHOR MANOEL GRACINDO(SÓCIO DO JORGE HENRIQUE E JUNIOR MOJO(QUE FREQUENTAVA ESSA ÁREA ANTES DOS ESCÂNDALOS)), E O PIOR ISTO FOI NA GESTÃO DO PRESIDENTE DO INCRA DE NOME BENEDITO TERCEIRO(SIM AQUELE QUE FOI PRESO PELA POLÍCIA FEDERAL), DIZEM QUE O MESMO SE EMOCIONOU E MANDOU FAZER UM COMISSÃO PARA DAR A CARA SÉRIA E OFICIAL PARA QUE TAL GOLPE SEJA FEITO.
    NESTA COMISSÃO ADVINHEM QUEM É QUE É UM DOS INTEGRANTES, SIM , O SENHOR MANOEL CUMBIQUE, SIM AQUELE QUE COMEÇOU ESTA HISTÓRIA, HOJE NOS TERRENOS EM QUE O SENHOR MANOEL GRACINDO COMPROU DE CADA POSSEIRO, HÁ UM LARANJA LIMA LINDO E MORADOR DA RAPOSA E FUNCIONÁRIO DELE, APROVEITE E VISITE TAL ASSENTAMENTO E VEJA COMO É QUE SE APLICA UM GOLPE USANDO O NOME DOS SARNEYS E AFINS E CORROMPENDO MEIO MUNDO E NÃO PENSE QUE ELES ESTÃO PREOCUPADOS EM ESCONDER TAIS FATOS.

  • Débora

    Quero agradecer a você por não deixar este assunto morrer é um problema sério que vinha acontecendo no Aracagi. Eu mesma perdi um terreno nas mãos desses homens e larguei de mão desde 2003, mas pelo que parece agora a justiça vai colocar eles no nugar que merecem.