CBF banca torneio de juízes federais na Granja Comary

A Confederação Brasileira de Futebol, cujo presidente, Ricardo Teixeira, foi acusado recentemente de ter recebido dinheiro como dirigente da Fifa no paraíso fiscal de Liechtenstein, e, em conseqüência, será alvo de uma investigação pedida pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro à Polícia Federal – patrocinará um torneio de futebol no qual os jogadores serão juízes e juízas das cinco regiões do país em que se divide o Judiciário Federal do Brasil.

O encontro, previsto para os dias 11, 12 e 13 de novembro, será na Granja Comary, em Teresópolis, onde fica o centro de treinamento da Seleção Brasileira.

Conforme convocação feita aos colegas pelo juiz da 2ª Vara de Execuções Fiscais de São João de Meriti (Baixada Fluminense), Wilson Witzel, diretor de esportes da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), “a hospedagem e o material esportivo para os jogadores será por conta da CBF”. O torneio de futebol que terá times mistos não agradou a muitos magistrados.

A convocação de Witzel aos juízes do Rio gerou protestos e revolta em alguns de seus pares.

Pelo menos um deles criticou abertamente a associação no correio eletrônico da categoria – “forumjuízes” – por vincular “o nome da Ajufe ao nome da CBF e de seu Capitão Hereditário, Ricardo Teixeira.”

Este juiz, mantido no anonimato a pedido da fonte do LANCENET!, questionou se os organizadores do encontro “tomaram o cuidado de emitir uma FAC (Folha de Antecedentes Criminais) dele (Ricardo Teixeira)?”. No fim da mensagem, ele ironizou: “triste estes caminhos oportunistas que a Ajufe toma, por obra e graça de sua diretoria. Depois, contem para nós, os que não vamos, quais foram os presentinhos do Ricardinho.”

O torneio foi confirmado pela assessoria da Ajufe, que não soube repassar detalhes do número de confirmações. Na 2ª Região, formada pelos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, até 20 de agosto, apenas quatro magistrados capixabas tinham confirmado a presença.

Hoje o time está completo, contando, inclusive, com a participação do juiz federal Fabrício Fernandes de Castro, vice-presidente da 2ª Região da entidade.

Procurado nesta quarta-feira pela reportagem ele não foi encontrado e não retornou as ligações.

O LANCENET! tentou ouvir nesta quarta outros membros da diretoria da Ajufe. O presidente Gabriel de Jesus Tedesco Wedu está no exterior. O diretor de esporte, Witzel, não retornou as duas ligações para seu gabinete. A assessoria de imprensa, encarregada de intermediar um contato com ele, não retornou as ligações.

Leia mais: CNJ diz que vai investigar torneio de magistrados
Lancenet

3 comentários para "CBF banca torneio de juízes federais na Granja Comary"

  • gojoba

    ricardao comeca a se complicar na cbf

  • Riba

    LÁ TAMBÉM É SÓ ESCULHAMBAÇÃO

    ESSE TAMBÉM DEVERIA SAI DA CBF

    E A JUSTIÇA PASSAR O NOSSO FUTEBOL A LIMPO

    CHEGA DE MUTRETAS

  • RUI FILHO

    ACHO QUE RICARDO TEXEIRA NÃO ESTAR ERRADO ELE TEM QUE PUXAR SACO DE QUEM PODE MANDALO PARA A CADEIA, E SIM OS MAGISTRADOS É QUE TEM DE SE IMPOR E NÃO ACEITAR ESSA COISAS,TEM DE FICAREM LONGES DE PESSOAS QUE PODERAM SER JULGADOS POR ELES