No Cristo Redentor, Loco Abreu irrita Igreja

A Arquidiocese do Rio, que administra o monumento, pretendia processar o atacante e a companhia aérea Pluna, depois de confirmar que o atacante do Botafogo participou da gravação de um comercial sem que a equipe tivesse autorização para usar o lugar como locação.

No vídeo, ele deu chutes em direção ao Cristo.

A filmagem, na quinta, foi admitida pela Pluna e pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), responsável pelo Parque Nacional da Floresta da Tijuca, onde fica o morro do Corcovado e o Cristo.

Um funcionário do ICMBio e um guarda municipal interromperam a gravação quando uma bola foi chutada para tentar encobrir a estátua.

Segundo a assessoria do ICMBio, o atleta e a equipe, também uruguaia, não apresentaram autorização, e, por isso, retiraram-se do local.

Eles subiram ao Cristo pagando o ingresso como todos os visitantes, diz o instituto.

A assessoria de imprensa da Pluna disse na noite de ontem que o gerente-geral da companhia, Jorge Pluna, pediu desculpas à Arquidiocese do Rio, e que o caso foi superado. A assessoria de comunicação da arquidiocese não foi encontrada para confirmar a informação.

A Pluna disse que a campanha inclui imagens “insólitas”, que buscam mostrar a surpresa de flagrar o atleta em situações inusitadas.

O atleta do Botafogo não comentou o incidente. Sua assessoria de imprensa informou que ele passou o dia cuidando de uma lesão.

De manhã, no entanto, o assessor de Loco Abreu, Flávio Dias, disse considerar “um negócio inacreditável” a Arquidiocese cogitar processar o jogador do Botafogo.

Mais conhecido cartão-postal do Rio, ao lado do Pão de Açúcar, o Cristo é também o maior monumento do mundo art-déco –estilo que é tema de um congresso mundial no Rio nesta semana.

Folha.com

Uma resposta para "No Cristo Redentor, Loco Abreu irrita Igreja"

  • Márcio Lima

    Gente isso é muita falta do que fazer é um simples comercial e nada mais e não sei porque essa discussão toda por causa de um assunto sem nenhuma importância.