Laser pode causar até cegueira em jogador

Luz, câmera… paralisação. Virou rotina nos estádios. Em dias de jogos à noite, a torcida local costuma usar o artifício da luz a laser para prejudicar a visão, principalmente, do goleiro adversário. Apesar de ser tratado superficialmente pela comissão de arbitragem, um especialista ouvido pelo GLOBOESPORTE.COM avisa: o laser é muito perigoso e pode até levar à cegueira.

Na quarta-feira, em São Januário, o goleiro Edson Bastos, do Coritiba, não titubeou e, assim que o objeto começou a ser utilizado pelos vascaínos, solicitou ao árbitro Paulo César de Oliveira que paralisasse o primeiro jogo da final da Copa do Brasil. O juiz atendeu ao pedido e aguardou a resolução do problema. No entanto, no jogo contra o Cerro Porteño, em Assunção, Neymar não teve a mesma sorte e passou muito tempo perseguido pela luz nos olhos.

De acordo com o oftalmologista André Maia, médico da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), o contato com o laser é muito perigoso.

– Há casos descritos de queimadura da retina e até perda da visão em pessoas que frequentaram festas “rave” e tiveram contato com raios laser desse tipo. Isso tinha que ser considerado arma e proibido nos jogos de futebol. A potência é muito alta e pode queimar a retina.

O laser com alcance de aproximadamente 300 metros custa em torno de R$ 50 e, na maioria das vezes, vem da China.

– Basta que a luz chegue dentro do olho, que é uma lente de 60 graus. O laser é concentrado no centro da visão, onde pode até cegar – destaca o médico.

Um árbitro, que preferiu não se identificar, contou que o assunto é pouco abordado pela Comissão Nacional de Arbitragem de Futebol (Conaf). A discussão é superficial, sem qualquer determinação para, por exemplo, paralisar a partida. Os árbitros são livres para determinar, de acordo com seus critérios, as atitudes a serem tomadas.

– Para dizer a verdade, (a Conaf) aborda de maneira superficial e fica pelo bom senso do árbitro, dependendo do quanto está atrapalhando o jogo. Temos essa autoridade de paralisar – disse o juiz.

O GLOBOESPORTE.COM não conseguiu entrar em contato com Sérgio Corrêa, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, para falar sobre o problema do laser nos estádios.

Leia mais no Globoesporte.com

Uma resposta para "Laser pode causar até cegueira em jogador"

  • RIBAMAR

    É UM ABSURDO A UTILIZAÇÃO DO LASER NOS JOGOS DE FUTEBOL. A CBF DEVE PENSAR EM PUNIR OS CLUBES.