Não adianta ficar mais só no discurso

A situação das praças esportivas são verdadeiramente uma grande ameaça aos JEMs 2011.

A maioria delas precisa de reformas urgentes.

Já mostramos aqui no BLOG, o retrato da pista de atletismo do Complexo Esportivo do Outeiro da Cruz.

O Parque Aquático também precisa ser recuperado, além dos ginários Rubem Goulart e Guioberto Alves.

O alerta vale também para a obra do Estádio Castelão.

O BLOG procurou alguns presidentes de Federações que também manifestaram a preocupação.

” É lamentável e preocupante a situação do nosso parque aquático do Outeiro da Cruz, o Castelinho. Nesses últimos dois meses vândalos invadiram e depredaram o nosso parque aquático, além de ter arrombado, quebrado e roubado a Federação Maranhense de Desportos Aquáticos levando objetos e materias de muito valor e um acervo imensurável. É mais preocupante o fato da realização dos Jogos Escolares Maranhenses está totalmente comprometida se nada for feito de imediato, uma vez que jogos como esses movimentam nossa juventude, e é referência no esporte escolar em nossa região, além comprometer a realização das competições promovidas pela Federação. Lamentável pelos atletas que ficarão sem uma praça para a natação por um período, até que se tomem aguma providência. Esperamos que o Estado tome ciência desse lamentável fato e que possa tomar mediadas satisfatória para a recuperação do nosso parque aquático”, disse ao BLOG o presidente da FMDA, Márcio Cunha.

Em nota oficial, a presidente da Federação Maranhense de Ginástica, Liane Bezerra Melo também demonstrou preocupação com a falta de intervenções do Governo do Estado no ginásio Rubem Gulart.

– O Ginásio Rubem Goulart tornou-se palco de importantes competições de ginástica realizadas no estado, contudo, desde o ano de 2006, encontra-se interditado devido a ameaças constantes de desmoronamento da sua estrutura física. Parte do teto do ginásio já desabou, comprometendo a segurança de atletas, técnicos e demais freqüentadores, que se vêem impossibilitados de realizar práticas esportivas e de lazer. A demora na reforma acarreta inúmeras perdas para o esporte no estado, sobretudo para a Ginástica Artística, tendo em vista que o local era o único minimamente dotado de estrutura para a prática da referida modalidade esportiva na cidade de São Luís e, com a sua interdição, os treinamentos e competições tornaram-se inviáveis – afirmou.

Tenho acompanhado desde o início o discurso do secretário Joaquim Haickel. No papel está ótimo!

A esperança dos desportistas é enorme, mas não podemos deixá-la virar uma grande decepção.

O orçamento da Sedel é mínimo: R$ 8 milhões é pouco para o muito que ele está prometendo fazer.

O jeito é pedir ajuda a quem pode e tem dinheiro para fazer. Neste caso, a Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

Mas sabemos que não dependerá apenas do Max.

É preciso decisão de governo. E o governo precisa deixar claro a sua política para o esporte.

É importante mostar que não está apenas no discurso de Joaquim Haickel.

Fica o nosso alerta.

Se nada mudar, o JEMs não mudará também!

3 comentários para "Não adianta ficar mais só no discurso"

  • CESAR FMF

    NOS ÚLTIMOS ANOS NO ENTRA E SAI DE SECRETÁRIOS O DISCURSO É O MESMO, NÃO ADIANTA VOCÊ ALERTAR, PORQUE EM 2012, OUVIREMOS A MESMA LADAÍNHA.

  • JOÃO JOSÉ ALVES DA COSTA

    O DISCURSO DO DEPUTADO JOAQUIM HAICKEL, AGORA NO COMANDO DO ESPORTE DO ESTADO DO MARANHÃO, ESTÁ PERFEITO, O QUE FALTA A ELE SÃO OS INSTRUMENTOS PARA TRANSFORMAR ESSE DISCURSO EM PRÁTICA, EM EFETIVAS AÇÕES QUE POSSAM FAZER COM QUE O GOVERNO DA GUERREIRA ROSEANA SEJA O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS NESSE SETOR, INCLUSIVE ELA ESTÁ NOS DEVENDO ISSO, EM SEUS OUTROS GOVERNOS O ESPORTE FICOU EM ÚLTIMO PLANO, MAS AGORA, COM A PROXIMIDADE DA OLIMPÍADA DO RIO, DA COPA DO MUNDO DE 2014 E COM O TRABALHO QUE A NOVA SECRETARIA VEM FAZENDO RESPALDADA NO TRABALHO INCANSAVÉL DO DEPUTADO JOAQUIM HAICKEL, TEMOS A CHANCE DE RESGATAR NOSSO ESPORTE DO PREGO.

  • Jorge Henrique de Viveiros Vieira

    Olá Zeca,

    O nosso Estado vive a pior crise dos último tempos, não existem hospitais, escolas estão depredadas e abandonadas, o sistema carcerário é o pior possivel, os presos usam cabeças como bolas, estradas intransitáveis, em fim, o Estado está sem estrutura finaceira para tocar seus projetos.

    E o que sobra para o esporte? nada!

    Será que o Castelão é mais importante do que o Hospital Carlos Macieira, que não tem cama, medicamentos, alimentação para os que ali estão internados?

    Será que é mais importante para o Governo mostrar ao Pais um estádio de futebol moderno e bonito, onde o futebol não existe, do que mostrar ao Brasil hospitais em pleno funcionamento, escolas modelos, etc.

    Acho que o Secratário Joaquim deve estar arrependido em ter assumido uma Secretária cujo orçamento é de apenas 8 milhões, ou seja, nada para o volume de obras a serem feitas.

    Jorge Viveiros.