Internacional é bi na Libertadores

info_arte

Campeão da América. Campeão do mundo. Campeão de tudo. E agora campeão da América de novo. Campeão de tudo e mais um pouco. Campeão de tudo que existe e um tanto mais. Campeão, campeão e campeão! Mil vezes campeão! Não foi apenas em um jogo de futebol que o Inter venceu o Chivas por 3 a 2 e virou bicampeão da Libertadores. Foi em uma cerimônia muito superior: uma celebração do coloradismo, um ritual de entrada na maturidade dos gigantes do futebol mundial. Não termina mais aquilo que começou em 2006. Não tem mais fim. O Inter é campeão! De novo!

E é campeão porque um dia os deuses do futebol decidiram que Rafael Sobis viria ao mundo para fazer o Inter campeão. Foi dele o gol do empate, quando o Inter perdia por 1 a 0 e via os fantasmas dos anos 90 sobrevoarem o Gigante. Leandro Damião, novato, promessa do clube, entrou em campo para fazer o segundo, para entrar na história com um chute, uma conclusão, um gesto! Giuliano, predestinado, iluminado, fez o terceiro!

Campeão de tudo! Bicampeão da América! Foi sofrido, porque o Chivas incomodou. Foi no sufoco, porque a vida do Inter é assim. Foi de chorar, porque é para chorar mesmo. O Sport Club Internacional, o Colorado das glórias, orgulho do Brasil, é novamente o dono do continente.

Nem a briga no fim do jogo estragou a festa vermelha. Após o apito final, Reynoso agrediu uma pessoa com agasalho do Inter. Os jogadores colorados reagiram, e a confusão tomou conta do gramado, sendo contida apenas depois da intervenção dos policiais militares.

Leia mais no Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Internacional é bi na Libertadores"