“Isso é uma injustiça”, diz zagueiro Manoel

manoelVítima de racismo, o zagueiro maranhense Manoel, do Atlético/PR, não gostou de saber que o autor da atitude discriminatória, o palmeirense Danilo, teve metade da suspensão de 11 jogos convertida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e já pode voltar a atuar.

Com a decisão, Danilo cumpriu cinco jogos da punição, um a mais que o jogador do Furacão. Manoel mostrou-se revoltado e lamentou o episódio.

“Ele fez o que fez e ficou suspenso apenas um jogo além de mim?! Isto é uma injustiça. Não gostaria mais de falar disto, até porque já é uma história passada para mim”, declarou o zagueiro do Atlético/PR, por telefone, ao site Justicadesportiva.com.br.

Danilo e Manoel se desentenderam em duelo pela Copa do Brasil, no dia 15 de abril. O palmeirense foi flagrado em imagens da televisão chutando Manoel, que revidou com uma cabeçada. Em seguida, o zagueiro do time paulista cuspiu no atleticano, e ainda o chamou de “macaco”. O jogador rubro-negro, por sua vez, admitiu ter dado um pisão em Danilo num lance posterior.

Após o jogo, Manoel registrou um boletim de ocorrência no 23º Distrito Policial de São Paulo e Danilo foi enquadrado no artigo 140, parágrafo 3º, do Código Penal (injúria qualificada por racismo). A pena prevista varia de um a três anos de prisão. O jogador palmeirense depois se desculpou publicamente pelo ocorrido e chorou numa entrevista coletiva.

No STJD, Danilo respondeu pela cusparada, tipificada no artigo 254-B do novo Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), e pela atitude racista, conforme o artigo 243-G do CBJD, enquanto Manoel respondeu duas vezes por ato de hostilidade, como prevê o artigo 250 do CBJD, em função da cabeçada e do pisão.
 
Do site da Justiça Desportiva

Seja o primeiro à comentar em "“Isso é uma injustiça”, diz zagueiro Manoel"