Passando a limpo – Jorge Aragão

O repórter Jorge Aragão, da Rádio Mirante AM é o terceiro entrevistado dentro da série “Passando a limpo” o futebol no Maranhão, lançada pelo BLOG para discutir e encontrar saídas para tirá-lo do fundo do poço.

Na opinião de Jorge Aragão para que o futebol maranhense possa reviver os seus grandes momentos é necessário uma grande “faxina” na Federação Maranhense de Futebol. Ele acredita que, se bem administrado e planejado, o futebol aqui é bastante viável, afinal somos um celeiro de “craques” e a nossa torcida é apaixonada e adora o futebol.

A série é publlicada também no caderno de esportes E+, do jornal O Estado do Maranhão.

Entrevista Jorge Aragão
Repórter

BLOG – Em algum momento da sua carreira, você chegou a imaginar que chegaríamos a essa situação atual do futebol no Maranhão?

JORGE ARAGÃO – Jamais, até por ser uma pessoa otimista por natureza, nunca imaginei que chegassemos a essa situação. É deprimente e de fazer vergonha mesmo, sermos eliminados por equipes de Estados como: Acre e Amapá. Isso desestimula e nos faz repensar se ainda vale realmente continuar trabalhando no nosso futebol com esses dirigentes.
 
BLOG – Existe um culpado pela situação ou são vários?

JORGE ARAGÃO – Existem vários culpados. Os principais são os dirigentes da Federação Maranhense de Futebol, principalmente seu presidente Alberto Ferreira, em seguida culpo os dirigentes dos clubes, apesar de reconhecer o esforço pessoal de cada um para manter suas equipes, eles se submetem a essa nefasta administração que só colabora para o declínio do nosso futebol. Parte da imprensa que concorda com esse posicionamento também tem culpa e a Justiça que não age com tantas denúncias feitas contra a gestão da FMF e faz de conta de não enxerga nada.
 
BLOG – Muito se fala da culpa da imprensa? Nós temos culpa nisso realmente? Onde é que nós estamos errando?

JORGE ARAGÃO – Sem hipocrisia e sem generalizar, tem parte da imprensa esportiva que se submete a esse tipo de administração da Federação Maranhense de Futebol em troca de favores, que nem quero pensar quais sejam, mas se a imprensa realmente se unisse para melhorar o futebol não tenho a menor dúvida que mudaríamos os rumos do futebol maranhense. Uns pecam por omissão, outros por favores e alguns poucos, infelizmente, continuam criticando os desmandos do futebol. O que mais me impressiona é que ainda tem cronista que defende a administração Alberto Ferreira, mas esse é um direito de cada um, mas como já dizia um adágio popular antigo: o pior cego é aquele que não quer ver ou não tem interesse em enxergar.
 
BLOG – Bem e você diria o que sobre o papel da Federação?

JORGE ARAGÃO – A Federação não é a única culpada pelo atual momento do futebol maranhense, mas entendo ser a principal responsável. Não consegue representar seus filiados em competições nacionais, não ajuda os clubes nos momentos difíceis de crise, não consegue organizar qualquer competição que seja, enfim, a FMF na gestão Alberto Ferreira não tem serventia de nada e só atrapalha. E o que mais impressiona é que essas pessoas sequer se dão o trabalho de acompanhar as suas próprias competições, contando ninguém acredita, e para piorar não pensam em deixar o futebol, ou pelo menos se afastar.
 
BLOG – E os clubes porque não reagem?

JORGE ARAGÃO – Não reagem e nem vão reagir enquanto agirem assim. Primeiro enquanto forem participes dessa gestão Alberto Ferreira não vão a lugar algum. Depois deveriam procurar se unir fora de campo, coisa que só fazem quando estão atrás de recursos públicos e mesmo assim de forma desorganizada. Além disso, deveriam ter uma preocupação maior com a sua base, com as categorias amadoras para que possam revelar jogadores e lucrar com isso. Enquanto não entenderem que o futebol tem que dar lucro, não vão sair do lugar e isso é perfeitamente possível, se várias equipes que não tem sequer torcidas conseguem, porque as nossas equipes que tem torcedores apaixonados não conseguem? É hora de repensar as suas gestões, incluindo profissionalismo, marketing e planejamento palavras hoje essenciais para o sucesso de um clube de futebol.
 
BLOG – Porque o torcedor se mantém passivo a tudo isso?

JORGE ARAGÃO – Essa é a única culpa que o torcedor tem, mas a passividade é infelizmente uma característica do brasileiro que no maranhense aflora ainda mais.
 
BLOG – Muito se fala que o Maranhão é um celeiro de “craques”. Você acha que o profissional maranhense é valorizado como deveria?

JORGE ARAGÃO – Não acho que o problema seja valorização, mas sim de trabalho de base, e nesse caso não falo apenas em ensinar futebol, mas em também preparar esses atletas para o mundo, com educação, alimentação e palestras que ajudariam muito esses jovens jogadores. Um grande exemplo foi o Moto Club que conseguiu uma bela campanha na Taça São Paulo de Juniores e não conseguiu sequer fazer um bom negócio com nenhum atleta, emprestou todos quase de graça e todos voltaram porque não estavam preparados fisicamente e mentalmente, apesar de tecnicamente serem diferenciados. Além disso, não existe um trabalho de marketing para a valorização desses atletas para uma futura negociação. Veja o belo exemplo que deu o JV Lideral, investiu e conseguiu o retorno financeiro em uma única negociação e ainda levou o título. Será que é difícil pelo menos copiar?
 
BLOG – Ouço muita reclamação sobre falta de planejamento nos clubes. O que você pensa sobre este assunto?

JORGE ARAGÃO – Não existe planejamento nos nossos clubes, acho que os nossos dirigentes não sabem nem o significado. Para não ir muito longe veja os exemplos de Moto e Sampaio no Brasileiro. O Sampaio tem um time caro, mas com jogadores com qualidade duvidosa, o mercado foi inflacionado desnecessariamente, poderia ser montado um time bem melhor com o dinheiro gasto e para variar com contratações com a competição em andamento. A única preocupação do Sampaio era querer passar a perna no Moto fora de campo e esqueceu de planejar e montar uma equipe a nível de sua tradição. O Moto esse foi um desastre, pela falta de planejamento conseguiu ser rebaixado no Campeonato Maranhense, depois de ser campeão no ano anterior, e ser eliminado num grupo com equipes inexpressivas e parar na primeira fase de um brasileiro, ou será que alguém tem dúvida que se o Moto tivesse mantido a comissão técnica e a base da equipe que foi campeã maranhense no ano passado os resultados da equipe seriam outros? Eu não. A falta de planejamento fez o Moto fazer uma viagem para o Amapá ridícula. Teve que se deslocar de microônibus para Belém e de lá seguir de teco-teco para Macapá, por simplesmente não ter feito reserva das passagens, esse episódio demonstra que não existe planejamento no nosso futebol. Além das inúmeras contratações equivocadas e fora de tempo, o exemplo Jack Jone é outro clássico. O Moto inventou um jogador chamado Rodrigão, quando tinha à sua disposição um jogador ídolo da torcida e que não precisava provar nada para ninguém. Resultado: dispensou o Rodrigão e quando trouxe o Jack Jone o jogador já estava três meses parados e mesmo assim ainda ajudou muito. Esse ano trouxe jogadores que foram embora sem sequer estrear por não conseguirem regularizar (La Rossa e Gardela) e agora repetiu no Brasileiro com o atacante Paulinho. São apenas alguns dos inúmeros exemplos de 2009, mas que infelizmente se repetem ano a ano.
 
BLOG – Porque as nossas equipes não conseguem bons patrocínios?

JORGE ARAGÃO – Principalmente pela falta de credibilidade do nosso futebol, de quem dirige, de quem comanda. O empresário não vai fazer favor, ele quer investir, mas quer retorno. Nós começamos e terminamos uma competição sem a maioria da população saber, não existe lançamento, nem festa de encerramento, enfim só se investe no que tem retorno e hoje o futebol do Maranhão como está sendo administrado não proporciona retorno a ninguém. Mas não tenho dúvida que bem administrado é viável.
 
BLOG – Qual é a saída agora que o nosso futebol está na 4ª divisão?

JORGE ARAGÃO – Parar e começar do zero, mas com mudanças radicais, principalmente nos dirigentes que comandam o futebol maranhense, senão iremos continuar regredindo. Para mim qualquer perspectiva passa por uma mudança geral na FMF.
 
BLOG – E finalmente o que podemos esperar no futuro?

JORGE ARAGÃO – Podemos ter um futuro promissor, mas para isso precisa de união de todos, clubes, dirigentes, torcedores e imprensa, mas com a saída dessas pessoas que atrapalham o futebol, porque senão temo pelo pior, ou seja, voltarmos a ser um futebol amador, mas diga-se de passagem qualquer competição amadora consegue ser mais organizada do que uma promovida pela FMF.

4 comentários para "Passando a limpo – Jorge Aragão"

  • Wender Silva

    Sem dúvida foi um encontro de dois dos mais lúcidos jornalistas esportivos do Marnhão!
    O Jorge disse tudo, tem que voltar a estaca zero e recomeçar tudo donovo!!!!!!!!

  • Arlon

    Falou tudo Jorge Aragão.

  • ACR Motense

    Jorge Aragão mostrou que, além de um excelente repórter, conhece muito do futebol maranhense. Parabéns, Zeca, por essa série de entrevistas. Tá na hora daquele cidadão da FMF tomar um chá de “semancol”!

  • Jean Pierre de Farias Jubert

    Uma série de entrevista, que nos faz pensar, que nem tudo estar acabado.A união que o Jorge Aragão citou é a saida para uma mudança de comportamento e reação dos clubes, jornalistas e torcedores para o bem do nosso futebol.