Paysandu nega “racha”

A goleada diante do Rio Branco/AC, no final de semana, levantou suspeitas de um suposto ‘racha’ no elenco do Paysandu. Mas tanto o técnico Válter Lima, o Valtinho, como os jogadores descartaram a divisão do grupo. Eles preferiram creditar o vexame dado pelo time, na Arena da Floresta, à falta de empenho da equipe e ao futebol superior do adversário. Ainda no vestiário do estádio, o atacante Balão refutou a idéia de ‘panelinhas’ entre os jogadores. Segundo Balão não há qualquer sinal de desunião no plantel, mas o bom entrosamento entre os jogadores fora das quatro linhas não está se repetindo dentro de campo.

‘Para mim não existe essa história de divisão’, declarou Balão, ao ser questionado sobre o assunto. ‘Mas a união não pode ficar restrita ao lado de fora do campo. Ela tem de existir até muito mais dentro das quatro linhas’, prosseguiu o jogador. O atacante encarou com normalidade a sua saída do time para a efetivação de Zé Augusto, que formou dupla de ataque com o apagado Zé Carlos. ‘O Zé foi bem no jogo com o Águia, fez os dois gols da vitória do time e o técnico precisava mudar o esquema de jogo’, argumentou.

Para o treinador Valtinho, que está no clube há menos de uma semana, não há desunião entre os jogadores. ‘Desde a minha chegada deu para perceber um grupo bem entrosado, sem divergências’, avaliou. Ontem, antes de o time deixar a capital do Acre, o treinador voltou a apontar o deslocamento tumultuado do tima como fator responsável pela queda frente ao Rio Branco. ‘O grupo sentiu ter de enfrentar tanto tempo de viagem e a longa espera no aeroporto na escala feita pelo avião’, observou, referindo-se ao tempo que o grupo passou em Brasília/DF, aguardando o embarque para Rio Branco.

No início dos preparativos do time para enfrentar o Luverdense/MT, nesta quinta-feira, o treinador vai exigir aprimoramento dos jogadores na troca de passes, que segundo ele, ‘ficou muito aquém do esperado’ no jogo passado. ‘O time todo foi mal neste fundamento’, acusou. ‘A equipe não acertava passes de pequena distância, dando ao adversário a oportunidade de armar os contra-ataques’, analisou. Mesmo com a situação, no mínimo, delicada, Valtinho confia na volta por cima do Papão.

‘O grupo já mostrou diante do Águia que tem poder de reação’, declarou o treinador, citando como exemplo a partida em que o Papão perdia por 1 a 0 e conseguiu em poucos minutos virar o placar para 2 a 1. Valtinho prefere não antecipar nada com relação ao jogo, fora de casa, contra o Sampaio. ‘Primeiro temos de pensar no Luverdense’, resumiu.

Jornal Amazônia

Uma resposta para "Paysandu nega “racha”"

  • Washington

    NÃO DÁ MAIS PARA AGUENTAR
    Não dá mais para aguentar de ver times como Luverdenses, Águias, Tocantinópolis, São Raimundos, Cristais da vida times sem qualquer expessão nacional baterem na cara de nossos times, que antes eram respeitados e temidos. Isso mostra que o nível técnico do nosso futebol caiu muito de uns anos pra cá, por que não dizer que foi a por causa da má adminstração do nosso futebol. Basta dizer que o Maranhão quase acaba, o Moto conseguiu ser o pior dos piores e foi rebaixado para a 2ª divisão e o Sampaio teve a proesa de perder o campeonato maranhense para o JV Lideral (com todo respeito ao JV que ganhou merecidamente o campeonato), time que nasceu ontem, Será que é a Federação? Será que o pricipal problema é financeiro? Será falta de Planejamento? Mas o que será que tá faltando para que o futebol do nosso estado volte a ser respeitado como no passado?
    A Federação maranhense deveria fazer fúrum de futebol com os dirigentes dos clubes e rever essas questões passo a passo. Deveriam ver mais as torcidas e imprensa e trabalhar para levar o status que nosso futebol tem perante o cenário nacional.

    Zeca fica aí a discursão: O será que tá faltando para que o futebol maranhense melhore…