Paysandu planeja dispensas

O presidente do Paysandu, Luis Omar Pinheiro, anunciou ontem que o elenco bicolor sofrerá cortes para a Série C do Campeonato Brasileiro – que começa no próximo dia 24, quando o time enfrentará o Sampaio Corrêia, no Mangueirão. O grupo que disputou o Campeonato Paraense era formado por 25 jogadores. O número deve ser mantido para a competição nacional. Contudo, alguns atletas serão substituídos por aqueles que vão ser contratados. Luis Omar lamentou ter de liberar os jogadores. ‘Vou fazer isso de coração partido. O ideal era manter todos esses jogadores com a gente. Infelizmente, não podemos fazer isso, sob pena de causar problemas ao próprio grupo, como o atraso nos salários’.

O presidente não adiantou o número de jogadores que serão afastados. ‘Ainda estamos avaliando essa questão’, alegou. Luis Omar reitera que o plantel para a Terceirona será enxuto, como foi no Estadual. ‘Não vamos cometer a loucura de contratar de carrada, como foi feito em gestões passada’, prometeu. Até aqui, o Papão contratou apenas dois novos jogadores: o zagueiro Rogério Corrêa e o atacante Torrô, vindos de Remo e Castanhal, respectivamente. O clube ainda tenta fechar com o meia Michell, do São Raimundo, de Santarém.

Com a desistência do lateral-esquerdo Edinaldo, que deverá defender o Águia – adversário do Paysandu no grupo A da Terceirona -, a direção bicolor vai partir para a contratação de um outro jogador. No máximo mais três reforços chegarão à Curuzu ainda nesta semana, conforme adiantou o diretor de futebol, Clodomir Araújo. Luis Omar admitiu que o plantel tem carências em algumas posições: ‘Não resta dúvida de que existe a necessidade urgente de contratações para algumas posições’. É o caso das laterais, onde o técnico Edson Gaúcho teve de improvisar em alguns jogos do time no Parazão por falta de atletas.

Edson Gaúcho concorda com a posição da diretoria. ‘No Campeonato Paraense, tivemos os salários em dia todo o tempo. Nossa idéia é continuar assim no Brasileiro. Por isso, não podemos sair contratando só por contratar. Não é o fato de o time ter sido campeão que vai nos levar a tirar os pés do chão e colocar a cabeça nas nuvens’, comentou. O treinador admitiu que está fazendo contatos com alguns jogadores que pretende ter em seu elenco. O treinador, contudo, evitou adiantar os nomes e as posições dos reforços sondados. ‘Isso a gente só vai revelar depois que os atletas estiverem realmente contratados’, prometeu.

O Paysandu tem novo preparador físico. A partir de amanhã, Cláudio Café vai ocupar o lugar de Rodrigo Polleto, que pediu para deixar o clube por causa do falecimento de seu pai. Polleto viajou para Florianópolis, no final de semana, depois de ter conversado com a diretoria e Edson Gaúcho, que indicou Café ao clube.

Elenco vai ser econômico

O Paysandu não vai contratar jogadores caros para a Série C, disse o presidente Luis Omar Pinheiro. O clube manterá a mesma filosofia de trabalho do Estadual, quando trouxe para a Curuzu jogadores sem grande destaque no cenário nacional, com exceção de Vélber, que é conhecido por ter atuado pelo São Paulo e outros clubes de ponta. A folha de pagamento do elenco, segundo o diretor de futebol Antônio Cláudio, não deverá passar de R$ 200 mil.

‘É claro que vamos ter de gastar um pouco mais. Contudo, não será nada exorbitante’, disse Antônio Cláudio. O clube deverá gastar cerca de R$ 170 mil com os salários dos jogadores e comissão técnica. A diretoria tem previsão de arrecadação de R$ 550 mil da parceria com o Governo do Estado e patrocinadores. O contrato com a Unimed continua em vigor até o final do ano: R$ 60 mil. O mesmo valor é pago pelo Banpará.

O clube tem ainda contrato com a Cerpa, no valor de R$ 20 mil, e com a Lotto, responsável pela confecção do material esportivo do time. O diretor de futebol Clodomir Aaraújo explica que o clube recebe royaltie pela venda de camisas. Agora, com a conquista do título estadual, após dois anos de jejum, as vendas devem ser aquecidas. Com relação à parceria com a Cerpa, Araújo informou que o contrato será encerrado em junho.

Além dos contratos de publicidade, o Papão ainda receberá a segunda parcela do contrato de transmissões dos jogos no Parazão: R$ 470 mil. Existe a possibilidade de o clube liberar a transmissões das partidas na Série C em troca de um valor que vem sendo discutido entre a direção alvi-azul e representantes da Funtelpa. O valor não foi revelado à imprensa.

O Liberal

Seja o primeiro à comentar em "Paysandu planeja dispensas"