Náutico sofre, mas passa pelo Moto

nautico190309.jpgO Náutico sofreu, mas fez seu dever de casa e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil. O time venceu o Moto Club por 2 a 0 e garantiu a vaga para enfrentar o Criciúma. No jogo de ida, em São Luís, as equipes haviam empatado por 1 a 1. Johnny, no primeiro tempo, e Gilmar, a poucos minutos do fim, marcaram os gols alvirrubros nos Aflitos na noite desta quarta-feira. E o Timbu teve que jogar grande parte da segunda etapa com um homem a menos. O zagueiro Asprilla foi expulso e o time teve que conter a pressão maranhense com apenas dez jogadores.

CONFIRA OS RESULTADOS E OS CONFRONTOS DA COPA DO BRASIL

Tmbu começa bem e Bala perde gol feito

Apesar de se classificar com o 0 a 0, o Náutico entrou em campo disposto a liquidar a partida e acabar com as esperanças maranhenses. Por muito pouco, o Timbu não abriu o placar logo no primeiro minuto. Gilmar fez boa jogada pela lateral e cruzou para a área, mas Carlinhos Bala fez o mais difícil. Na pequena área, o atacante pegou muito embaixo na bola e ela subiu para acertar o travessão e se afastar da rede do Moto Club.

Com mais volume de jogo, o Alvirrubro seguiu procurando o ataque e criando chances de gol. E a bola entrou aos 22 minutos. Carlinhos Bala cruzou da direita e Gladstone, sem chance de marcar, cabeceou para trás. Com rara felicidade, Jhonny acertou um chute forte, sem chance para o goleiro Valbert, abrindo o placar para o Timbu.

Maranhenses buscam o empate

Se já levava perigo ao goleiro Eduardo antes de ficar em desvantagem, o Moto Club intensificou suas jogadas de ataque depois do gol alvirrubro. Com boas jogadas de seus meias, o time maranhense criou boas chances de empatar a partida. Aos 28 minutos do primeiro tempo, Rigo desceu pela direita e tocou para trás. Seu parceiro de meio-de-campo Kelson acertou um belo chute. O goleiro Eduardo teve que se esforçar para espalmar e preservar a vantagem alvirrubra na primeira etapa.

Timbu dá sinais de nervosimo

Mesmo mais perto da classificação, a vantagem conseguida no primeiro tempo não deu ao Náutico a tranquilidade para administrar o resultado. Recuado, o time passou a dar campo para o Moto Club avançar. Retrato do nervosismo alvirrubro foi a expulsão do zagueiro Asprilla. Com apenas 11 minutos de jogo no segundo tempo, ele fez falta dura em Donício e, depois do cartão amarelo, recebeu o vermelho, deixando o Timbu com um a menos. Segundo o goleiro Eduardo, em entrevista logo após a partida, Asprilla foi expulso por se recusar a virar as costas para o árbitro e mostrar seu número.

O Moto Club continuou buscando atacar e voltou a criar chance clara de empatar a partida. Aos 19 minutos do segundo tempo, Rúbsen recebeu na área timbu e, de frente para o goleiro Eduardo, errou o alvo, desperdiçando ótima oportunidade de marcar. Antes disso, Jean Carioca já havia arriscado de fora da área e assustado a defesa alvirrubra.

Com um a menos, Timbu volta ao ataque

A resposta do Náutico veio logo depois, aos 23. Carlinhos Bala repetiu a dose e voltou a carimbar a trave maranhense. Dessa vez, de mais longe. Ele cobrou falta de média distância e a bola, caprichosamente, bateu na junção entre o travessão e a trave antes de sair pela linha de fundo.

Curiosamente, depois que ficou com um jogador a menos, o Náutico voltou a aparecer bem no ataque. Depois de Juliano errar o alvo de frente para o gol, foi a vez do goleiro Flaubert aparecer bem para salvar o Moto Club. Aos 30 minutos, ele fez grande defesa em chute forte de Vagner. Três minutos depois, foi a tentativa de Gilmar que parou nas mãos do arqueiro.

Timbu consegue o segundo em contra-ataque

Com o zagueiro Onildo no lugar do atacante Adriano Magrão para recompor a zaga depois da expulsão de Asprilla, o Náutico conseguiu acertar a marcação, que deixava espaços para o adversário desde o primeiro tempo. Por essa razão, e com o Moto Club cada vez mais dedicado a buscar o empate, o Timbu passou a jogar no contra-ataque e levar ainda mais perigo ao gol maranhense.

E as investidas ofensivas deram resultado. Aos 43 minutos, Gilmar aproveitou o cochilo da defesa do Moto Club, após tentativa de jogada de Carlinhos Bala. O meia alvirrubro driblou os dois zagueiros maranhenses e, de frente para o goleiro Valbert, teve tranquilidade para tirar de seu alcance. A bola chegou a bater na trave antes de entrar e sacramentar a classificação do Náutico para a segunda fase da Copa do Brasil.

A igualdade numérica só veio nos acréscimos, quando o lateral Rigor foi expulso após falta forte no meio-campo Juliano, mas o jogo acabou em seguida e o Timbu não pôde aproveitar o fim da desvantagem.

COPA DO BRASIL

Primeira fase – jogos de volta
Quarta, 18/03

Juventude 2 x 0 Sorocaba-SP
Náutico 2 x 0 Moto Club-MA
Vitória (5) 1 x 1 (4) ASA-AL
Santos 4  x 0 Rio Branco-AC
Brasiliense 3 x 1 Cristal-AP
Ponte Preta 6 x 1 Vilhena-RO 
CSA 3 x 1 Serra-ES
Remo 2 x 0 Barras-PI
Ceará 1 x 1 Central-PE
América-RN 0 x 0 Confiança-SE

Leia mais no Globoesporte.com

Uma resposta para "Náutico sofre, mas passa pelo Moto"

  • JUCA

    O zagueiro Onildo do Nautico que entou no 2° tempo no lugar do atacante Adriano Magrão ontem no jogo contra o Moto, ele é maranhense, ele jogou no sub 17 do CEFAMA e não foi muito aproveitado à época, e sumiu do futebol, Em janeiro de 2008 ele apareceu jogando Taça São Saulo pelo Tocantinopolis-TO e se destacou e o Náutico contratou ele, um garoto de apenas 18 anos e jogou o brasileirão do ano passado todo pelo time do Recife.

    Estes times maranhenses tem que olhar mais pro seus “frutos” como um garoto daqueles serve pra jogar la e aqui ele nem chance teve???

    RESPOSTA: É isso mesmo Juca. Tem que valorizar sim. Mas os clubes precisam também do apoio de empresas para que com patrocínios fortes possam formar boas equipes.