Dois mil e oito acabou…

fogosdeartificio2.jpgE chegamos ao fim de dois mil e oito. Para o esporte um ano marcado por conquistas, perdas e decepções. Vivemos momentos de muita alegria, mas também momentos de tristeza e o BLOG  procurou mostrar nos trezentos e sessenta e cinco dias do ano que é possível alcançar as grandes conquistas.  E alcançamos na areia. O nosso timão de beach soccer jogando em casa mostrou competência e garantiu o título inédito ao esporte no Maranhão.

E brilhamos nas Olimpíadas Escolares em João Pessoa. A menina Larisse de Sousa, de Caxias foi mais rápida e trouxe dois ouros no atletismo. O vôlei masculino do Rui Barbosa mostrou mais eficiência e garantiu o tri. Na melhor participação nos jogos, o Maranhão trouxe 17 medalhas, sendo 6 de ouro, 3 de prata e 8 de bronze.

E estivemos também em Pequim na maior festa do esporte. A armadora maranhense Ana Paula nos encheu de orgulho na seleção de handebol.

E no futebol profissional se não fomos tão brilhantes pelo menos garantimos uma “vaguinha” na Série C com o Sampaio. Muito pouco para o esporte que é o mais popular também no Maranhão. É preciso aprender com  os erros cometidos e não repetí-los nunca mais se quisermos retornar à elite do futebol nacional.

E finalmente não posso falar do ano que está terminando sem lembrar a morte do radialista Deny Cabral que representou uma perda enorme para o esporte maranhense. Ele era um dos maiores incentivadores. Vivia o rádio e o esporte intensamente todos os dias. E os fez com ética, profissionalismo e respeito ao próximo.

E estes três valores: ética, profissionalismo e respeito ao próximo continuarão presentes também aqui no BLOG. Com a humildade de sempre, quero dizer aos leitores que aprendi muito com os “puxões de orelhas” que recebi através dos comentários. E mais ainda. Fiz alguns amigos que espero conhecer no ano que começa amanhã. A internet é impressionante e possibilita coisas desse tipo.

E para encerrar vou lembrar o Deny outra vez… “FELIZ ANO NOVO BRASIL!!!!!!”

Seja o primeiro à comentar em "Dois mil e oito acabou…"