Kléber Pereira nega porte de arma

Kléber Pereira se envolveu em confusão na noite de terça-feira, em São Luís, no Maranhão, e é suspeito de porte de arma. Segundo boletim de ocorrência registrado pelo advogado Gerson Herbert Magalhães Silva, de 38 anos, no 14º DP do Bequimão, o atacante do Santos e outros amigos estavam com armas branca e de fogo.

De acordo com as informações passadas por Gerson Herbert à polícia de São Luís, a confusão começou em uma partida de futebol entre adolescentes. Três sobrinhos de Kléber Pereira teriam atrapalhado o jogo da garotada, que, furiosa, correu atrás deles e conseguiu acertar alguns socos e pontapés.

– O comunicante (Gerson Herbert Magalhães Silva) informou que os perseguidores conseguiram bater nos outros garotos e que depois que conseguiu apartar a briga apareceram duas motos e um carro importado de cor prata, onde estava o rapaz de nome Kléber – informou o agente de polícia Reginaldo Souza.

Ainda segundo relatou o advogado no boletim de ocorrência, Kléber Pereira e as outras pessoas que o acompanhavam portavam armas brancas e também armas de fogo, ameaçando todos que estavam por perto. A briga que agitou o bairro Bequimão, em São Luís, teria durado cerca de duas horas.

Em férias no Maranhão, Kléber Pereira falou por telefone com a reportagem do GLOBOESPORTE.COM, confirmou a briga, mas negou que estivesse com armas.

– Teve uma confusão mesmo. Umas 20 pessoas bateram nos meus sobrinhos. Aí eu e meus dois irmãos fomos até lá para tentar resolver a situação, mas não teve nada de arma de fogo ou arma branca. Sou uma pessoa pública, nunca faria isso, não tenho necessidade – explicou o camisa 9 do Santos.

Leia a reportagem de Leandro Canônico, do Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Kléber Pereira nega porte de arma"