Itinga não deve disputar o maranhense

quininhablog.jpgUm novo problema será discutido na reunião de hoje, durante a reunião do Conselho Arbitral de Clubes, na Federação Maranhense de Futebol. O Itinga não deverá disputar a temporada 2009.

Em conversa com o BLOG, o atual prefeito Francisco Valbert de Queiroz, o “Quininha” que perdeu a eleição no município disse que está indo embora para o Amazonas e não terá condições financeiras necessárias para manter a Onça da região tocantina.

– Eu não dou conta. O time é do município não é meu e além disso eu estou indo para o Amazonas onde montei uma empresa – afirmou.

A permanência do Itinga na divisão principal vai depender agora da prefeita eleita Luzivete Botelho.

Com a possível saída do Itinga, a Federação terá três hipóteses para a temporada 2009. A primeira delas seria disputar o Campeonato Maranhense com nove equipes. A segunda seria manter o Santa Quitéria que foi um dos rebaixados para a 2ª divisão e a última garantir o acesso ao Juventude, de Caxias que foi o 3º colocado na 2ª divisão do Campeonato Maranhense.

A reunião do Conselho Arbitral acontece às 18h30, na Federação Maranhense de Futebol.

Foto: Paulo Soares/O Estado

3 comentários para "Itinga não deve disputar o maranhense"

  • Diogo

    Zeca, o sorteio da Copa do Brasil já aconteceu, da uma olhada http://www.cbf.com.br/sitenoticias/_9308172720081212.html

    Sampaio pega o Figueirense…

    O Moto pega o Nautico…

    Temos totais condições de avançar a 2ª fase…

  • Gilson

    E assim o nosso futebol segue a sua sina. O Itinga deve ir pelo mesmo caminho do Pinheiro, São Bento, Codó, Viana, etc. Embora reconheça a força de algumas cidades do interior e de suas torcidas, sou radicalmente contra a manutenção de equipes profissionais, pelo Poder Público em qualquer esfera. Acho que os Governos devem contribuir, sim, com o esporte. Porém sob a ótica da infra-estrutura das praças desportivas (ginásios, estádios) e ao incentivo à prática do desporto nas escolas e universodades, como forma de revelar talentos.

    É desperdício do dinheiro público investir em futebol profissional, o qual deveria ser canalizado para as áreas de saúde, educação e outras. Acho que o Ministério Público deveria investigar essa promiscuídade financeira, que, embora feita na melhor das intenções acaba gerando excessos.

    Essas equipes ficam sempre dependentes do prefeito de plantão. Se for um desportista a equipe se mantém. Se não, passam a formar mais uma fotografia no álbum da história do nosso futebol. É uma pena!

  • OLIVEIRA FILHO

    Não vale a pena um time do interior principalmente de município pequeno, disputar o campeonato maranhense, primeiro não tem suporte financeiro para bancar o time, tem que ser mesmo o dinheiro público que é completamente errado; segundo, vai só servir pra dar pontos aos times de São Luis, se ganha no campo perde no tapetão, quando vão julgar qualquer questão sempre o time da capital termina sendo favorecido. Para a imprensa os times do interior não passam de uns tabajaras. No caso do nacional, será que se fosse um time da capital seria punido com foi punido o time de Santa Inês.

    RESPOSTA: Não é esta questão em jogo. O cai-cai do Nacional é condenável, mas lembro que recentemente na Série C a CBF puniu o Duque de Caxias-RJ por conta de um cai-cai contra o Rio Branco-AC, depois o STJD aliviou para o time carioca que inclusive conseguiu subir para a Série B. Taí a dica para o Naça.