Seleção brasileira dá chocolate em Portugal

luisfabianoblog.jpg

Foi uma noite fabulosa. Mas nem de Kaká, nem de Cristiano Ronaldo. Quem brilhou na vitória brasileira por 6 a 2 sobre Portugal, nesta quarta-feira, no estádio Bezerrão, no Gama, cidade-satélite de Brasília, foi Luis Fabiano. Ele fez três gols e ainda deu o passe para outro, marcado por Maicon. Elano marcou o quinto e Adriano, que entrara no lugar do herói da noite, garantiu a festa tupiniquim. Danny, de letra, e Simão fizeram os gols dos portugueses. Foi a primeira vez no duelo entre as seleções que um jogador fez três gols em uma partida.

Foi uma das melhores apresentações da seleção de Dunga, que chegou a ser questionado pelos torcedores nos primeiros minutos, mas depois foi aplaudido. Quem está na berlinda agora é o técnico português Carlos Queiroz, que não vem tendo bons resultados como substituto de Felipão.

A seleção segue com 100% de aproveitamento sobre Portugal nos gramados brasileiros. Foram nove jogos e nove vitórias. A equipe canarinho também segue com a invencibilidade de 16 partidas em casa. A última derrota ocorreu em 2002, em um amistoso contra o Paraguai. Depois vieram 14 partidas pelas eliminatórias e dois amistosos (Guatemala e Portugal).

O time de Dunga fecha a temporada de 2008 com seis vitórias, três empates e duas derrotas, ambas por 2 a 0 para Venezuela (amistoso) e Paraguai (eliminatórias). Nesses 11 jogos, a equipe marcou 14 gols e sofreu sete. Agora, o Brasil só volta a campo em 10 de fevereiro, no amistoso contra a Itália, em Londres.

Antes do jogo, muita festa na reinauguração do estádio Walmir Campello de Bezerra, o Bezerrão. O hino nacional foi cantado por Zezé di Camargo.

Pelé deu o pontapé da partida e recebeu um troféu em homenagem ao aniversário do milésimo gol marcado no dia 19 de novembro de 1969 em cima do Vasco. O Rei do Futebol foi ovacionado de pé pelos torcedores. Outras personalidades da política e do esporte, como Romário e o piloto Felipe Massa, desfilavam nos camarotes.

Pelé chegou a pedir paciência com o trabalho de Dunga antes da partida. Mas não adiantou. Foi o sistema de som do estádio anunciar as escalações e chegar ao nome do treinador para uma grande vaia começar. O grito de “Adeus Dunga” também não demorou a aparecer. Veio aos quatro minutos quando Danny marcou o primeiro gol de Portugal. Após uma rápida cobrança de escanteio pela esquerda, a bola foi cruzada para a área brasileira.

Bruno Alves dominou na segunda trave e chutou cruzado. No meio dos zagueiros, Danny apareceu e tocou de letra para fazer o gol. Julio César só observou. Um golaço. Portugal 1 a 0.

O empate veio aos oito minutos. Linda jogada de Robinho pela esquerda. Ele roubou a bola, passou por Pepe e tocou para Luis Fabiano. Livre na área, o atacante tocou com categoria na saída do goleiro Quim: 1 a 1, para avílio de Dunga. A torcida passou, então, a gritar o nome de Robinho. Terminava o jejum de gols da seleção em casa em 2008 após três jogos (Argentina, Bolívia e Colômbia) sem balançar a rede.

Com Anderson no meio-campo, a seleção brasileira jogava melhor, tinha rapidez e mais habilidade na ligação entre a defesa e o ataque. Kaká também era eficiente na armação das jogadas. Aos 14, Robinho quase virou a partida. O atacante entrou na área e chutou colocado no canto esquerdo de Quim. Mas a bola foi para fora por muito, muito pouco.

Mas o gol saiu aos 24 minutos. E novamente com Luis Fabiano. Após jogada de Kaká, o atacante dominou na área e girou. O chute não saiu forte, mas foi desviou e entrou no canto esquerdo do goleiro.

Aos 26 minutos, Cristiano Ronaldo, pela primeira vez, levou perigo. Ele dominou na entrada da área e chutou rasteiro. O goleiro Julio César caiu no canto direito para defender firme. O atacante, que deve ganhar o prêmio de melhor do mundo em janeiro dado pela Fifa, não fez um bom primeiro tempo. Até fez duas jogadas de efeito, entre elas uma bola entre as pernas de Robinho, mas foi pouco objetivo. O Brasil ainda quase ampliou no fim do primeiro tempo. Robinho deixou Kaká na cara do gol. Mas o meia chutou por cima do travessão na saída do goleiro Quim.

– O importante é que a seleção teve um poder de reação muito grande no primeiro tempo. Saímos atrás, mas corremos e lutamos para virar o placar – disse Luis Fabiano ao deixar o campo.

No intervalo da partida, uma homenagem a Felipe Massa. O piloto da Ferrari deu uma volta no gramado ao som do tema da vitória no carro que serve como maca e foi muito aplaudido pelos torcedores. Nos dois telões, imagens de vitórias do brasileira na última temporada de Fórmula 1.

– É uma honra para mim receber todo esse carinho. Não tenho como agradecer. Vou lutar muito para ser campeão no ano que vem – disse o piloto.

A seleção voltou sem mudanças para o segundo tempo. Nani, que entrou no lugar de Danny, chutou de fora da área logo aos três minutos. Julio César defendeu firme.

Aos seis minutos, a torcida começou a gritar olé em um toque de bola da seleção brasileira. Parecia adivinhar que o terceiro estava perto. Após uma linda troca de passes da seleção, Luis Fabiano tocou para Maicon, que apareceu pela direita e chutou forte surpreendendo o goleiro Quim. A bola entrou entre o camisa 1 e a trave. Brasil 3 a 1.

O quarto gol saiu em seguida. Maicon apareceu mais uma vez bem pela direita e cruzou para Robinho. Ele chutou, o goleiro defendeu e na sobra Luis Fabiano apareceu para completar para o gol. Foi o 14º gol do Fabuloso com a camisa da seleção. O nono dele em 11 jogos sob o comando de Dunga. Na comemoração, ele e Robinho sambaram no gramado.

Os gritos de olé ganharam força. Mas Portugal aproveitou uma bobeira da defesa brasileira para diminuir. Simão recebeu livre pela direita e chutou na saída do goleiro Julio César.

Não tinha problema. Elano marcaria um golaço aos 20 minutos. O meia recebeu passe de Kaká pela direita e mandou uma bomba cruzada. A bola entrou no ângulo de Quim. Aos 22 minutos, Luis Fabiano saiu para a entrada de Adriano. O Fabuloso foi muito aplaudido.

Após o quinto gol, as duas seleções passaram a fazer muitas substituições. O jogo só esquentou no final. Vendo o chocolate que Portugal levava do Brasil, Cristiano Ronaldo perdeu a cabeça discutiu asperamente com o lateral-esquerdo Marcelo e com o zagueiro Thiago Silva. Cartão amarelo para o ‘gajo’ que, ao contrário do dia anterior quando saiu aplaudido do Bezerrão pela torcida após o treino lusitano, foi bastante vaiado e chegou a ser hostilizado com palavrões.

E para fechar o caixão dos portugueses, Adriano, de cabeça, estufou as redes de Quim e fez o sexto da seleção.

Leia mais no Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Seleção brasileira dá chocolate em Portugal"