Publicidade

Adeus, a um cara que viveu o rádio na sua intensidade. Descanse em paz, “internacional’

A morte é mesmo algo com o qual talvez nunca iremos nos acostumar. É repentina e provoca uma dor insuportável, pois marca a despedida corporal, daqueles que mais amamos. Quem já passou, sabe o quanto é difícil. O quanto é dolorido. O quanto é ruim. E, assim está sendo, nesta despedida do guerreiro e combativo Deny Cabral. Dolorido. Muito dolorido. Um… Continue lendo a matéria.

Publicidade

Na Folha de São Paulo

ANTONIO BARTOLOMEU CABRAL (1960-2008) O gol, e que gol, do rádio do Maranhão WILLIAN VIEIRA DA REPORTAGEM LOCAL Foi uma partida em que a bola rolou preguiçosa, desgostosa até com um ou outro passe, mas os dez segundos de gol arrastados na voz de Deny Cabral fizeram aquele Bacabal e Palmas pela série C do… Continue lendo a matéria.

Publicidade

Sobre o Deny

Querido Zeca, Sei que não tenho o direito de comparar o meu sentimento de perda ao seu. Tantos anos de amizade, de fraternidade, de palavras certas, de “discussões” descabidas e sem fundamento e sem qualquer tipo de valor que fracassasse essa amizade … Não dá pra comparar. Li seu blog… quanto sentimento! Durante o enterro… Continue lendo a matéria.