Meu irmão, meu amigo, meu conselheiro…

adeusirmao.jpg

 Quero dividir com vocês a alegria de ter convivido por muitos anos com este profissional do qual desde à epoca de ginásio aprendi a ser fã e a tê-lo como espelho – o meu fiel e leal conselheiro Deny Cabral.Conheci o Deny nas ondas do rádio. Ele trabalhava na Rádio Timbira e eu sempre o acompanhava. Nossos destinos estavam traçados. Deny me fez gostar do rádio. Entrei para a faculdade em 1985, no ano seguinte iniciava um estágio na Rádio Educadora. Começava alí uma grande amizade.

Em 1988, já como coordenador de jornalismo e programação da Rádio Educadora tive a honra de trabalhar diretamente com o Deny. Era o início de uma aprendizado sem fim. Deixei a Rádio Educadora em 1996.

Em 1999, a convite de Rômulo Barbosa, o Barbosão como o Deny gostava de chamar fui para a Rádio Mirante AM juntamente com o Roberto Fernandes e o Inácio Cabral (irmão do Deny). O Deny é claro viria também para reforçar ainda mais o timaço das grandes vozes do rádio maranhense.

Assumiu o programa Plano Geral e deu às noites do rádio maranhense o conceito de um rádio ético, moderno e atualizado. Ele sempre tinha algo a dizer que ninguém sabia. Deny respirava notícia. Era fonte e inspiração de muitos. Outro dia o Deny reclamava: “A nossa reportagem no esporte não está boa. Me escala para esse jogo que eu quero ensinar esses meninos como é que se faz”. Ele era assim.

Aqui ele fez de tudo e fez tudo muito bem. Foi repórter, apresentador e chegou onde sempre queria chegar: ser narrador de futebol. E foi uma partida de futebol o seu último trabalho. Estivemos juntos em Bacabal quando narrou a partida entre BEC e Palmas, no Campeonato Brasileiro Série C. Não vou esquecer nunca do seu gesto quando as coisas dão tudo certo. E este domingo foi um exemplo.

Depois disso, Deny entrou de férias e viajou com a família para Barrerinhas. Mesmo assim, mandou por telefone as principais notícias divulgadas na programação da Mirante. Foi da cama do hospital que Deny informou quem seria o novo delegado-geral após a crise que culminou com o afastamento de Jefferson Portela.

irmao.jpgEle não parava. Não perdoava corpo mole. Dava dura em todos nós. E sabe que na maioria das vezes ele tinha razão! Brigamos muitas vezes e a cada briga a certeza de que tínhamos o rádio como a nossa grande paixão.

É difícil acreditar que tudo isso que levamos pelo menos 23 anos para construir tenha se desmanchado de uma hora para outra. É a metade dos anos que já vivi. Não dá para acreditar que isso esteja acontecendo.

Preciso parar um pouco…. Tenho que chorar mais…

… Vou tentar terminar agora.

Deny? Você não vai responder, sei disso….

Não estou conseguindo escrever…  Vamos lá…

Meu irmão, meu amigo, meu conselheiro, você foi cedo demais!!! Não tínhamos combinado nada disso. Não falamos sobre isso, aliás na segunda-feira conversamos sobre a sua volta. Você estava bastante cansado. Pouco podia falar, mas ainda me disse: “muito obrigado”.

Foi a útima vez que ouvi você, meu irmão, meu amigo, meu conselheiro de todos os dias e todas as horas.

Valeu irmão e até um dia desses!!!! Boa noite Brasilllll!!!!!!

14 comentários para "Meu irmão, meu amigo, meu conselheiro…"

  • GENILSON

    FIQUEI SEM PALAVRAS AO SABER DA MORTE DE DENY CABRAL. SEMPRE O ACOMPANHEI NAS RÁDIOS EDUCADORA E MIRANTE. A PERSONALIDADE FORTE E ALTO NÍVEL PROFISSIONAL QUE ÀS VEZES NÃO AGRADAVA A TODOS SEMPRE FORAM MARCAS DO DENY. PEÇO A DEUS QUE DÊ O DESCANSO MERECIDO A ELE. PARA A FAMÍLIA DESEJO TODA A PAZ E SERENIDADE QUE O MOMENTO EXIGE. ELE SE FOI MAS O SEU LEGADO É IMENSO E AS LIÇÕES QUE DEIXOU NÃO SERÃO ESQUECIDAS. DESCANSE EM PAZ DENY.

  • SÍLVIO EDUARDO

    A vida tem nos apresenta algumas indagações que somente Deus poderá explicar um dia (se é que possi dizer assim). Ontem quando estava dirigindo o jogo entre Moto x Bacabal, fiquei sem entender o motivo pelo qual a Rádio Mirante havia “fechado” as portas no Estádio Nhozinho Santos e parado a transmissão da partida. Ao retornar para o vestiário no intervalo do jogo, fui surpreendido pela notícia triste da pasagem do Deny. Vem uma pergunta: Como um cidadão, homem, bom pai de família, um bom filho pode partir de maneira tão prematura como foi o Deny?? Vem a lembraça do Pe. Léo, que assim como o Deny, partiu para o encontro do Pai no ponto alto da sua vida. São os mistérios de Deus. Quero com estas palavras juntar-me aos familiares e amigos neste momento de dor e saudade deixado pela auxência desse profissional tão competente e de um comportamento inquestionável. Tive o prazer de conhecer o Deny filho quando eu ainda distribuia correspondência na casa dos seus pais onde diariamente os visitava e dizia com prazer que sentia essa necessidade. Conheci o Deny empresário, conheci o radialista, jornalista, apresentador, narrador e tudo que fazia mostrava que era com emoção, e responsabilidade.
    Aqui vai o meu adeus a esse cidadão que aprendi a admirar e que certamente foi chamado porque o Pai estava necessitanmdo de alguem polivalente. E para encerrar, tomo emprestado algumas palavras do Milton Nascimento: “…qualquer dia amigo eu volto a te encontrar; qualquer dia amigo agente vai se encontrar!!!”
    Vá em paz, Deny e que Deus te acolha na morada eterna, onde é o lugar das pessoas de bem e dos justos.

  • Antonio Henrique

    “Salmo de Davi. O Senhor é meu pastor: nada me falta. Em verdes pastagens me faz repousar, conduz-me até as fontes tranqüilas e reanima minha vida, guia-me pelas sendas da justiça por causa de seu nome. Ainda que eu ande por um vale enebroso, não temo mal algum, porque tu estás comigo; teu bordão e teu cajado me confortam”. (Trechos do Salmo 23)

    Diante de tudo que ouvi de ontem pra hoje, esta é a maneira mais singela de expressar o consternamento pela perda do Deny. Não tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente, mas posso dizer que desde o final da década de 70 e nos anos 80 me acostumei a ouvir no radinho as vozes de Rui Dourado, Canarinho, Juracy Vieira, Jairo Rodrigues, Adolfo Vieira, Herbeth Fontinelle, Laércio Costa, Gílson Rodrigues, Emanuel Ribeiro, José Carlos Teixeira, Albino Soeiro, Tércio Dominicci e tantos outros. E dentre esses profissionais não podiam faltar o Deny Cabral.
    Diante de tudo que já ouvi nas ondas do rádio e nos 600 KHz da Mirante AM sobre depoimentos dos amigos como André Martins, Herbeth Fontinelle, Gílson Rodrigues e desse forte depoimento do Zeca, partilho com vocês e a família a dor e a consternação pela perda do Deny.
    Que Deus confortem a todos!

  • LIANA

    A Viagem

    Em algum lugar destas terras, há um doce olhar só para você…
    Um olhar especial, de pessoas especiais de distantes origens…
    Um olhar de um justo coração que pulsa só a vida,
    que sorri porque ama plenamente sem julgamentos,
    preconceitos, nem distinções.
    Hoje, como ontem, longe desses céus,
    há um encantado olhar só para você…
    e nesse olhar vai para você a magia da luz,
    a simplicidade do perdão,
    a força para comungar uma vida.
    Hoje, de algum lugar dentro de você,
    amigos que já o amou muito,e ainda o ama,
    diz para você que valeu a pena ter estado nestas terras,
    sob estes céus, falando de paz, união, amor, perdão.
    Poder sentir a força que faz você sorrir
    e continuar o caminho…
    que um dia aquele doce olhar iniciou para você.
    Tudo isso, só para você saber que a vida continua…
    E que a morte, é uma viagem.

    SAUDADES DO NOSSO RADIALISTA, DESCANSE EM PAZ!

  • Jorge Gobel

    Parece mentira. Como um ser humano se despede desse mundo de uma maneira tão sem sentido. Deny Cabral com quem tive a oportunidade de compartilhar diversas vezes, ele narrando e eu comentado algumas boas partidas de futsal no Ginásio Costa Rodrigues. Com o seu jeito proprio de narrar os jogos e quando eles estavam emocionantes, ele delirava nas suas narrações. Com o seu modo caracteristico de bater com os pés no chão ele transformava uma partida monotona e um jogo cheio de emoção.
    Perdemos um amigo que com certeza estara olhando aqui pra baixo e nos iluminanando para que possamos seguir o melhor caminho.
    Peço a D. Rosangela, ao Diogo e a Isabela que tenham muita força e pense que ele partiu, mais deixou o melhor do seu conhecimento de vida para eles. Ao meu amigo Inacio meus sinceros sentimentos. E tenho certeza que a equipe Pool vai demorar muito para absorver essa perda porque Deny será insubstituivel na sua maneira de ser, de agir e de demostrar a sua amizade. Isso sem falar o lado profissional que devera demorar muitos anos para surgir um parecido com ele.
    Estamos todos muito triste.
    Jorge Gobel.

  • Mayron Frederico

    A Palavra de Deus diz; A missericordia dEle é a razão de não sermos consumidos, a morte de Deny Cabral, nos faz repensar em quantos somos frágeis e até mesmo insiguinificantes diante dos fatos que a “vida” nos proporciona, É hora de repersarmos os conceitos, teórias, costumes e moods de vida, não sabemos o preço da vida, só JESUS, este morreu por nós, e deixo um APELO, VAMOS SER PESSOAS MELHORES, VAMOS RESPEITAR O PROXÍMO, VAMOS NOS “AMAR”, vamos buscar a DEUS enquanto a tempo, e FAZER O MUNDO MELHOR, com certeza essa era uma vontade do HOMEM DENY CABRAL !!!

  • MARCELO FILHO

    DEUS VAI COLOCAR O DENNY NO LUGAR DE DESTAQUE PELA MISSÃO QUE DESENVOLVEU AQUI NA TERRA, CONVERSAVAMOS MUITO SOBRE NOSSA CIDADE DE PINHEIRO, COMEÇAMOS JUNTOS O BEACH SOCCER, ELE TRANSMITINDO OS JOGOS DA SELAÇÃO E EU COMO ÁRBITRO FIFA BEACH SOCCER, VIAJANDO ESSE NORDESTE E A RÁDIO MIRANTE DANDO SHOW NA TRANSMISSÃO DOS JOGOS O NARRADOR DENNY CABRAL. HOMEM TRABALHADOR, NÃO MEDIA ESFORÇOS E NÃO RECLAMAVA DE NADA, SÓ QUERIA FALAR NO RÁDIO NÃO INTERESSAVA O LOCAL. QUE DEUS O TENHA.

  • Carlos Costa

    Caro ZECA,
    Mias triste do que ver meu Becão perder mais vez ontem, foi ter recebido em plena transmissão, a triste notícia do falecimento do radialista Deny Cabral. Eu não o conhecia pessoalmente, não tinha afinidade, mas sei quem é e conheço um pouco de seu trabalho, pois apesar de morar em Bacabal, acompanho pela internet boa parte da programação da Mirante AM, e vou com frequencia a São Luis e sempre ouço a Mirante.
    Lembro bem do domingo feliz, em que a torcida do Bacabal saboreou a bonita vitória sobre o Palmas, e apesar de algumas quedas de corrente elétrica na cidade, o Deny fez uma narração bonita. Acredito que ele tambem saiu de Bacabal muito satisfeito, pois durante a narração, não cansava de elogiar o time do BEC e estádio Correão.
    Naquele mesmo dia, um pouco antes do jogo, fui com a minha família almoçar no Restaurante Lampião e Maria Bonita, e estava em uma mesa bem próxima você, Rui Porto, uma outra pessoa e o Deny Cabral, e quando os vi, fui até onde o Deny e perguntei sobre o resultado do jogo Sampaio e Picos que havia acontecido no dia anterior, quando ele prontamente me passou a informação.
    É uma perda considerável para o rádio maranhense.
    À familia, quero enviar minhas condolências e pedir a Deus para os confortar nessas horas tão difíceis.
    Deny Cabral, Vá, e que Deus lhe acolha no paraiso celeste.

  • Vitorioso

    Estou sem palavras,

    Não perdemos só um grande jornalista , perdemos um grande Homem ,

    que DEUS o tenha.

    .

  • Paulo

    Saudades do Eterno locutor Legal!

  • Gisa Franco

    Zeca, imagino a dor que estejas sentindo,chorei só em ler o teu desabafo. Tenha fé meu amigo, reze pra que ele tenha o descanso eterno. Que Deus conforte todos. Bjo

  • MARIA LUIZA DE AZEVEDO MIRANDA, jornalista tv brasil

    Zeca, foi com grande emoção que lí o teu texto sobre o nosso querido Deni. Trabalhamos juntos por mais de vinte anos e vai ser difícil retomar sem a presença do colega a quem chamava de ‘MEU STRESS’, por sua inquietude e seu perfeccionismo. Não perdi apenas um colega de longas jornadas, mas um grande amigo, sincero, conselheiro e que sempre me deu grande incentivo.
    Deni viverá sempre no coração de todos o que o amaram e admiraram nessa passagem dele na terra. E no outro plano dará continuidade a sua missão.

  • Olívia Sampaio

    Fiquei muito triste quando soube da notícia. Trabalhamos por pouco tempo juntos mas, não é todo mundo que tem o privilégio que eu tive de durante alguns meses dizer o “BOA NOITE BRASIL” com ele, eu sou uma felizarda. Sinto pela sua perda, por nossa perda.

  • Li Cristina

    Zeca, esta é a segunda vez que você me faz chorar. A primeira, você sabe, foi quando me disse palavras de incentivo no momento em que mais precisava, Agora, ao ler seu desabafo, tão humano, tão sofrido, as lágrimas voltaram com a mesma intensidade como naquele dia, há uns quatro (já???) anos atrás.
    Só que desta vez a sensação de vazio não pode ser preenchida. A gente que milita no esporte maranhense, mesmo andando meio afastada como eu, sabe o quanto o Deni tinha paixão pelo que fazia.
    Quando comecei no jornalismo esportivo, aí mesmo na TV Mirante, ele sempre tinha alguma notícia para compartilhar. Quantas vezes ele não chegava na minha mesa e dizia algo importante que havia acabado de saber… compartilhar a notícia era o grande dom desse menino alegre. Não guardava segredo, não escondia a notícia, não sonegava fatos. Era honesto, era sincero e era companheiro.
    Na quinta-feira à tarde, ao acessar o imirante como faço todos os dias, li a notícia da internação. No dia seguinte, à noite, li a notícia da morte. Foi um choque. Essa notícia nosso querido Deni poderia muito bem ter deixado para depois. O personagem principal da notícia não poderia ser ele. Logo ele, que sempre teve consciência de que era apenas um instrumento, um elo entre as pessoas e o que elas queriam saber. Eu não queria saber de coisa tão triste. Não agora. Os estudantes de jornalismo ainda tinham tanto a aprender com ele ao ouvirem sua voz pelas poderosas ondas da amplitude modulada….. E agora, que exemplo de versatilidade no radiojornalismo maranhense vou ensinar a meus alunos? De Esporte a Política, passando por todas as notícias do cotidiano, Deny sabia dar o tom.
    E nós, temos que aprender a conviver sem tamanho profissional. Mas fico tranquila por saber que ele sofreu pouco. E fico tranquila porque sei que ele teve um amigo como você Zeca, que certamente saberá guardar a memória de nosso companheiro.