Paysandu reclama da arbitragem

O gol anulado de Zé Augusto quase no final do jogo contra o Bacabal revoltou como nunca a diretoria bicolor. O presidente do Paysandu, Luiz Omar Pinheiro, disse à reportagem que tentou entrar em contato com o presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), Antônio Carlos Nunes de Lima, para manifestar toda a sua indignação contra o trabalho do assistente 1 Fernando de Brito Miranda, que marcou impedimento do atacante no lance polêmico.

“ Ele é um safado, um ladrão e ainda é antiparaense”, disparou Pinheiro, sem conter a irritação. “Se fosse lá no Maranhão, o gol seria confirmado na mesma hora”, garantiu, antecipando que o clube enviará de imediato um comunicado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) barrando auxiliares locais. “Queremos todo mundo de fora”, bradou.

O assessor direto da presidência, Rui Salles, foi outro que perdeu a paciência. Bastante nervoso, ele cobrou uma atitude do presidente da Comissão de Arbitragem da FPF, Lenilson Alcântara. “Ele estava como observador (na partida) pela CBF”, lembrou o dirigente, chateado com o assistente local, que marcou a posição irregular de Zé Augusto, impedindo a vitória magra mas importante do Papão no começo de caminhada no Nacional.

Na saída de campo, o trio de árbitros foi xingado pelos torcedores, que compareceram em pequeno número ao estádio. A baixa presença da Fiel acabou sendo outra grande decepção da direção bicolor. Esperava-se um público superior a sete mil espectadores, mas os pagantes totalizaram apenas 661 pessoas

Leia a reportagem de J. R. Rodrigues, do Diário do Pará

Seja o primeiro à comentar em "Paysandu reclama da arbitragem"