Dário Lourenço assume o Paysandu

bol3246.gifNinguém resiste a um mau resultado no Re-Pa. A perda do título do segundo turno do Campeonato Paraense para o arqui-rival Remo, domingo passado, vitimou o técnico Charles Guerreiro, que não ficará no comando do Paysandu para o restante do ano. A cúpula bicolor, no entanto, correu rápido e anunciou, no início da tarde, o nome do carioca Dário Lourenço, 49, como substituto.
A justificativa dos dirigentes foi que, para o Nacional, as apostas deveriam recair sobre um comandante mais experiente. Segundo informou ao Bola o assessor direto da presidência, Rui Salles, Lourenço foi opção única. Ele chegará hoje a Belém com o auxiliar técnico Russo, ex-jogador do Volta Redonda (RJ), e o preparador físico Marcelo Dezane, que trabalhará com Fernando Silva.
Desta forma, a diretoria – que antes havia garantido que Charles Guerreiro continuaria no cargo para a Série C do Campeonato Brasileiro, que começa no próximo mês – mudou de idéia. Guerreiro, que foi comunicado em sua própria casa, ontem pela manhã, que estava fora dos planos do clube, reagiu com surpresa.

Dário Lourenço é todo otimismo para assumir o comando técnico. O novo treinador – o quarto neste primeiro semestre na Curuzu – prevê dias de glória na Terceira Divisão e a subida do clube para a Série B. Sem temer as armadilhas a cada fase do torneio, Lourenço, que tem no currículo a proeza de ter levado o Volta Redonda ao vice-campeonato carioca de 2005, sonha em se consagrar no Papão e deslanchar a biografia – que inclui uma rápida passagem pelo Vasco. Na Colina, ele se desentendeu com Romário e perdeu na queda-de-braço com o Baixinho. Ontem à tarde, por telefone, ele falou com a reportagem direto de Macaé, interior do Rio.

BOLA – Como você recebeu o convite para vir dirigir o Paysandu?
DL – Vejo como uma grande oportunidade para alavancar a minha carreira. Fui chamado em outras duas oportunidades, mas estava com compromisso em outros clubes, uma delas no Bacabal, no Maranhão, onde conquistei este ano a Taça São Luís. Agora estou rescindindo o meu contrato com o Macaé e viajo amanhã (hoje) para Belém. Por sua história e tradição, o Paysandu merece ser recolocado na Série B e trabalharemos forte para isso.

BOLA – De que forma costumam atuar suas equipes?
DL – Gosto de time no esquema tradicional, o 4-4-2, com dois atacantes, laterais que saibam defender bem e apoiar com eficiência. Tem que ser uma equipe forte. Não há como ser diferente numa competição difícil como a Série C.

BOLA – E contratações? Já existem nomes agendados?
DL – Não. O grupo do Paysandu tem bons jogadores e faremos uma avaliação. Devemos fechar com alguns nomes. Quero ter à disposição atletas em condições de brigar por uma vaga no time. Um bom banco é importante para a caminhada no Brasileiro. Não faço questão de ter gente no banco só para fazer número.

BOLA – Como avalia a Terceirona nesta temporada?
DL – Será uma competição complicada, com fases classificatórias, como num mata-mata. Vai ser assim até o octogonal. O grau de dificuldade é grande, mas eu gosto desse sistema. O nosso objetivo é subir de divisão.

BOLA – O Paysandu estréia contra o Bacabal no dia 6 de julho, seu ex-clube. Isso facilita seu trabalho?
DL – Acho que houve mudanças desde que saí de lá, mas o time é forte, tem bons jogadores e a prefeitura local está investindo na equipe. O Bacabal agora é adversário e preciso vencê-lo para começar bem a competição. É uma motivação maior de minha parte.

Diretoria pode anunciar nomes

Dário Lourenço não traz nenhum jogador a tiracolo, mas a administração alvi-azul já se movimenta para fechar negócio com quatro novatos a qualquer momento. Um zagueiro, um volante, um meia e um atacante estão sendo sondados pelo assessor da presidência, Rui Salles, e pelo diretor de Futebol Antônio Cláudio Costa.
Os possíveis reforços têm a intermediação do agente Mauro Morishita, que se encontra em Belém e cuja base de ações fica em São Paulo. Morishita, que faz transações com atletas locais para outros Estados desde 1991, não identificou o quarteto, mas não escondeu que alguns nomes estão na Série B e outros no futebol paulista.

Leia a reportagem de J. R Rodrigues, do Diário do Pará

3 comentários para "Dário Lourenço assume o Paysandu"

  • Ivalmar Sales

    Agora o Leão do maranhao vai conhcer o Papao da curuzu, e Dario me parece estar muito tranquilo quanto a um chance de vitoria na estreia, ta bom do BEC mostrar que tbm tem força fora do Correao…

  • CLEBER LIMA

    PARABÊNS AO DARIO ELE MERECE NÓIS AQUI DE BACABAL GOSTAMOS MUITO DELE MAIS NEM POR ISSO BEC 2 X 0 KKKK

  • thiago

    O BECÃOI vai começar a mostrar sua força fora do correão quinta-feira contra o moto clube. Gostei muito da passagem do Dário aqui no BECÃO, boa contratação do papão da curuzu. FURIA DO MEARIM A MAIOR DO MARANHÃO.