Brasil sofre para bater Cuba, mas vai a Pequim

014889807-dp00.jpgA seleção brasileira feminina de basquete driblou todas as dificuldades, dentro e fora de quadra, e garantiu, de maneira emocionante, na última chance que lhe restava, a vaga para os Jogos Olímpicos de Pequim. O passaporte foi carimbado neste domingo, quando o time comandado pel técnico Paulo Bassul derrotou Cuba – carrasco na classificatória das Américas, em setembro – por 72 a 67, na final da repescagem do Pré-Olímpico Mundial, em Madri. Iziane, cortada por indisciplina, não chegou a ver o triunfo de suas ex-companheiras de equipe. A jogadora já tinha deixado a Espanha quando a bola subiu no Palácio dos Esportes.

Com a vaga, o Brasil se junta a Espanha, República Tcheca, Letônia e Bielorrússia, que se garantiram nos Jogos ao passarem às semifinais do torneio. A seleção venceu Ilhas Fiji e Espanha na fase classificatória. Nas quartas, perdeu para a Bielorrúsia e caiu para a repescagem. Foi à decisão ao derrotar a fraca seleção de Angola.

O basquete brasileiro participou pela primeira vez dos Jogos Olímpicos em 1992. Desde então, disputou todas as edições, e chegou às semifinais nas últimas três: foi prata em Atlanta-1996, bronze em Sydney-2000 e quarto em Atenas-2004.

Leia mais no Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Brasil sofre para bater Cuba, mas vai a Pequim"