Peixe vence, mas está eliminado da Libertadores

014734482-dp00.jpgO Peixe esbarrou na falta de pontaria e nas boas defesas do goleiro Ochoa, do América O Santos bem que tentou, mas nem as presenças ilustres de Pelé e Robinho na Vila Belmiro deram sorte ao time, que venceu por 1 a 0 mas não conseguiu inverter a vantagem do América-MEX e está eliminado da Libertadores. Na partida de ida, os mexicanos venceram por 2 a 0, com dois gols de Cabañas. O Peixe procurou o ataque durante todo o jogo, mas abusou do direito de perder gols. O América vai pegar a LDU, que eliminou o San Lorenzo, na semifinal.

Os 19.539 mil santistas que foram ao estádio, o maior público do ano na Vila, devem ter sentido muito a falta do gol legítimo de Kleber Pereira anulado no México, já que o resultado desta quinta daria a classificação aos brasileiros caso o jogo no Azteca tivesse sido 2 a 1.
 
O Santos fez o que tinha de fazer. Foi para cima do América desde o primeiro minuto de jogo. Com Cabañas bem vigiado pela dupla Fabão e Marcelo, o Peixe se lançou ao ataque e foi criando chances. Aos 10, Molina mandou uma bomba de esquerda. O goleiro Ochoa defendeu, e a bola sobrou para Rodrigo Souto, que bateu cruzado. Kléber Pereira tentou desviar, mas chegou tarde.

O América, com dez jogadores atrás e apenas Cabañas à frente, apenas se segurava e tentava sair em um contra-ataque. A única chance do time mexicano no primeiro tempo ocorreu aos 12 minutos, quando Argüello arrancou pela direita e cruzou para Esqueda emendar de primeira. A bola passou por cima, assustando Fábio Costa.

O lance de perigo, porém, não diminuiu o ímpeto dos santistas. O bombardeio era incessante. Aos 21, Kléber lançou Kléber Pereira, que dominou e chutou de direita. Ochoa espalmou. Na sobra, Rodrigo Souto mandou outro petardo, e o goleiro mexicano defendeu novamente.

A bola vinha de todo o lado, e Ochoa ia se segurando como podia. Algumas vezes, o time santista confundia rapidez com pressa e se atrapalhava nos passes. Corria mais que a bola. Ainda assim, era dono do jogo. Aos 33, Molina avançou sozinho pela direita, cortou para a canhota e chutou firme, mas o camisa 1, bem colocado, encaixou.

Apesar de criar muito, insistir, correr, mostrar muita garra, o Peixe não saiu do zero. Intervalo de jogo, a vaga era do América.

Kléber Pereira renova a esperança dos santistas

[gmc 831238] O Peixe voltou para o segundo tempo ainda mais ofensivo. O técnico Emerson Leão sacou Wesley e colocou o argentino Trípodi. Wesley ainda ajudava na meia. Já Trípodi entrou para ficar bem mais à frente. A pressão tornou-se ainda mais intensa que no primeiro tempo.

Aos 8, Kléber Pereira recebeu livre, dentro da área, mas demorou para chutar e acabou levando um esbarrão de Sebá. Os santistas pediram pênalti, mas o árbitro mandou seguir. Aos 9, Kléber Pereira, novamente recebeu pela esquerda, driblou o goleiro mas, sem ângulo, chutou para fora.

À medida que o tempo ia passando e o gol não saía, os santistas iram ficando bastante nervosos. Tanto dentro de campo quanto nas arquibancadas. A torcida começou a pressionar os jogadores, que em vez de tentarem entrar com a bola pelo chão insistiam em balões para dentro da área.

Aos 16, Leão resolveu então mandar o time com tudo para o ataque. Tirou Betão e colocou o equatoriano Michael “Jackson” Quiñonez para jogar aberto pela direita. Em seu primeiro lance, o xará do astro americano fez jogada de ponta, driblou o marcador e cruzou de canhota na cabeça de Kléber Pereira, que encobriu o goleiro com um toque certeiro. Explosão na Vila Belmiro.

Em busca do segundo gol, que levaria a decisão para os pênaltis, o Alvinegro intensificou a pressão. Cabañas, sem conseguir receber a bola em condições, tentou tirar os santistas do sério. Catimbeiro, o paraguaio provocou, tentou parar o jogo, fez cera e acabou levando um cartão amarelo aos 26 minutos.

Aos 37, Kléber e Trípodi fizeram uma boa jogada, o argentino tocou para o lateral, que lançou Kleber Pereira na entrada da área. O atacante, mesmo livre, chutou mal e perdeu boa chance. Dois minutos depois, Molina mandou uma bomba de longe com a perna esquerda, a bola passou rente ao travessão. Ochoa só olhou. Até o apito final, os santistas sufocaram os adversários, mas não conseguiram balançar a rede adversária novamente.

Leia a reportagem de Adilson Barros e Luiz Ademar, do Globoesporte.com 

Seja o primeiro à comentar em "Peixe vence, mas está eliminado da Libertadores"