De olho no clássico

Os técnicos Meinha (Moto) e Sandow Feques (São José) emboram não tenham assistido o clássico entre Sampaio e Maranhão juntos pelo que me disseram após a partida parecem ter visto o mesmo jogo. A leitura foi rigorosamente igual.

Para os dos treinadores, o baixinho Jáder foi mesmo o fator de desequilíbrio no clássico Samará. Para os dois, a falta de ritmo de jogo era esperada e por isso destacaram a determinação e superação dos atletas de MAC e Sampaio.

– Vi uma vontade muito grande do Maranhão – destacou Meinha.

Para Meinha e Feques esta é uma competição nivelada e mostrou que qualquer vacilo poderá ser fatal.

– É uma competição de tiro curto. quem perder dois jogos consecutivos estará fora – alertou Feques.

Meinha elogiou a postura de Jean Maranhense. Feques ainda destacou a boa atuação no 2º tempo do meia Válbson (Sampaio).

Quando perguntei sobre a partida da quinta-feira entre Moto e São José, os dois treinadores fizeram questão de falar bem pouco, ou melhor, quase nada.

Seja o primeiro à comentar em "De olho no clássico"