Tragédia: sete mortos na Fonte Nova

O dia era para ser apenas de festa para o Bahia, mas terminou em tragédia com pelo menos sete mortos. No empate em 0 a 0 com o Vila Nova, que garantiu o acesso do time para a Série B do Brasileirão, uma parte do anel superior da Fonte Nova cedeu, por volta dos 35 minutos do segundo tempo da partida, em frente ao ginásio de esportes que funciona no próprio estádio. Torcedores caíram de uma altura de 20 metros. Outras 30 pessoas ficaram feridas e foram levadas para três hospitais da cidade. Uma delas está em estado gravíssimo.

Pelo menos 60 mil pessoas estavam no estádio na hora do acidente, mas existem relatos de invasão de público na Fonte Nova nos minutos finais da partida.

Estádio condenado em estudo

A tragédia estava anunciada há tempos. De acordo com o relatório elaborado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Arquiteturas e Engenharia (Sinaenco), o estádio baiano é o pior dentre os 29 principais do país. Problemas nos banheiros, de ferrugem e oxidação foram apontados no estudo – divulgado no dia 1º de novembro – feito para avaliar as condições que os atuais estádios brasileiros teriam para sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014.

Outra prova dos problemas no estádio é que a Fonte Nova não estava nos planos do Governo da Bahia para o Mundial de 2014. A idéia era construir um outro estádio na cidade, a Arena da Bahia.

Willian, um dos médicos do Bahia, enquanto prestava socorro às vítimas no gramado, revelou que o quadro pode ser ainda pior.

– No campo tinha várias pessoas em situação grave, com fraturas expostas em membros inferiores, lesões na coluna, pessoas sendo atendidas – disse.

Dentro do gramado, a euforia exagerada de muitos torcedores manifestou-se através de invasões e depredações. Placas de publicidade, banco de reservas e até as redes dos gols sofreram atos de vandalismo.

Diretoria cancela festa; torcedores contam o que viram

Com o acesso, a diretoria do clube chegou a dar início a uma comemoração com a presença de trios elétricos. A festa, no entanto, foi cancelada assim que chegou a notícia da tragédia.

Abatido com a tragédia que deixou pelo menos sete mortos no Estádio da Fonte Nova, o presidente do Bahia, Petronio Franca Barradas, disse, por telefone, que deve decretar três dias de luto e o time vai atuar com um tarja preta na camisa no jogo contra o Crac-GO, nesta quarta.

Marcos Carneiro, publicitário que estava a menos de dez metros do local da tragédia, contou que torcedores caíram direto da arquibancada para o meio da rua e disse que o problema poderia ter sido ainda maior caso Nonato, atacante baiano, tivesse convertido o pênalti que perdeu.

Fonte: Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Tragédia: sete mortos na Fonte Nova"