Juventude bate o campeão e respira no Brasileirão

O Juventude se aproveitou do relaxamento natural do campeão São Paulo e venceu por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, pelo Brasileirão (assista ao gol de Renato). O time gaúcho repetiu o uniforme preto, que usou na última vitória sobre o Palmeiras, e deu certo: a equipe ainda respira na luta contra o rebaixamento, embora esteja em situação complicada.

Com o resultado, o anfitrião chegou a 38 pontos, mas segue na 19ª posição, acima apenas do já rebaixado América-RN. O São Paulo permanece com 73 pontos, cumprindo tabela.

Muricy Ramalho optou por poupar Rogério Ceni, André Dias e Jorge Wagner, os três pendurados com dois cartões amarelos. Com isso, deu chance a Danilo Silva e Sérgio Mota. Esperava-se que o sangue novo em campo desse um gás maior ao time que já é campeão.

Mas o Tricolor entrou em campo em ritmo de férias. Melhor para o Juventude, que precisava vencer para seguir com chances de escapar do rebaixamento. O anfitrião atacou desde o início, enquanto os paulistas pouco ameaçavam. Não demorou para que o gol do Ju saísse: aos 24 minutos, Renato recebeu livre, de frente para o gol , e chutou forte antes que Breno alcançasse a bola.

O estreante Sérgio Mota, de apenas 17 anos, até que criou algumas jogadas, mas demonstrou que ainda precisa de mais tempo para render no Tricolor. Danilo Silva, que está emprestado até dezembro, não teve uma noite feliz. O zagueiro de 20 anos fez duas faltas duras por trás que resultaram em cartões amarelo e vermelho, respectivamente. Ele ficou em campo apenas por 30 minutos.

O São Paulo, com um a menos e sem zagueiros no banco, recuou Richarlyson. O Juventude continuou pressionando até o fim da primeira etapa e quase fez o segundo, aos 42, em uma cabeçada de Nunes, que acertou a trave.

Se Danilo Silva jogou apenas 30 minutos, Sérgio Mota, em seu primeiro jogo como profissional, atuou apenas um pouco mais. O garoto saiu no intervalo, assim como Borges, para as entradas de Leandro e Aloísio. Muricy deu bronca no vestiário: mesmo campeão, não queria ver seu time descompromissado em campo.

Apesar do puxão de orelha do comandante, o São Paulo continuou aceitando a pressão do Juventude, que criava as melhores jogadas. Logo aos dois minutos, Bosco salvou o Tricolor em cobrança de falta de Renato. Aos seis, Júnior atingiu Tiago por baixo na área, mas o árbitro não considerou pênalti.

As mudanças feitas por Muricy, que ainda tirou Dagoberto para a entrada de Diego Tardelli, não surtiram efeito. O Juventude seguia melhor e ainda contou com uma falha do Tricolor para ampliar o placar, aos 21: em cobrança de escanteio, Breno foi tentar tirar de cabeça, mas acabou marcando contra. A torcida do Ju foi ao delírio e, pouco depois, passou a brincar e gritar “olé”. Não era para menos. Afinal, nenhum time ainda tinha marcado dois diante do campeão neste nacional.

O São Paulo reagiu mais depois do segundo gol e passou a ter oportunidades, como a cobrança de falta de Richarlyson, aos 29. O meia bateu por cima do gol. Aos 35, Júnior quase diminuiu ao chutar por cima, mas Marcelo Costa salvou o Ju ao tirar a bola em cima da linha.

A torcida ainda gritou mais “olé” no fim, e Leandro rebateu a provocação, fazendo gestos para representar a faixa de campeão e mostrando a mão aberta, para caracterizar o pentacampeonato.

Fonte: Globoesporte.com

Seja o primeiro à comentar em "Juventude bate o campeão e respira no Brasileirão"