Apito final

Dispensado do Sampaio, rejeitado pelo Moto, André Ramos é recebido de braços abertos no Maranhão.

Nem Sampaio, nem Moto. O volante André Ramos vestirá a camisa do Maranhão Atlético Clube durante o Campeonato Maranhense. Em menos de vinte e quatro horas, o capitão do Sampaio passou pelos três principais clubes da Capital. E para deixar bem explicado o que aconteceu vamos aos fatos:

1 – Na segunda-feira o jogador tem o nome incluído numa lista de dispensas do Sampaio. André foi um dos símbolos da conquista da Taça Cidade de São Luís e ergueu o troféu de campeão. ‘Procurei os dirigentes do Sampaio e o Geografia foi homem comigo e disse que eu estava sendo dispensado porque o meu nome estava numa lista feita pelo treinador Luís Carlos Wink’, disse André.

2 – Demitido do Sampaio, André procurou o Moto. O acerto aconteceu na terça-feira pela manhã. ‘Não quero falar mais do Sampaio, o importante agora é a nova casa. Já acertei tudo com o Moto e me apresento amanha. Dei a minha palavra ao Moto e não voltarei atrás’, afirmou André Ramos em entrevista à Rádio Mirante AM.

3 – À tarde, após uma conversa entre a comissão técnica e o diretor de futebol, Humberto Trovão, o Moto recua e diz a André Ramos que ele não precisa mais se apresentar ao clube. O Moto desistia da contratação porque o técnico Ronaldo Bagé teria dado preferência a dois jogadores indicados por ele. Alguém na comissão técnica teria garantido também que André Ramos não seria um jogador de grupo.

4 – Como diz aquele velho ditado popular: o bom filho à casa torna… Depois de dispensado do Sampaio, rejeitado pelo Moto, André Ramos acertou contrato com o Maranhão. Foi o apito final nesta história triste, mas com final feliz para esse bom valor do nosso futebol.

Não imaginava que depois da ‘mancada’ do Sampaio, alguém pudesse fazer pior. E o Moto fez. No caso do Sampaio é preciso respeitar a opinião do treinador Luís Carlos Wink que prefere trabalhar com outros jogadores. Apenas defendo que as coisas precisam ser feitas com total transparência. E ainda bem que o Geografia explicou ao atleta o que aconteceu realmente.

No Moto, o episódio abre um ‘capítulo’ de incertezas. Em quem confiar de agora em diante? Lembro que no dia anterior, o atacante Cláudio André que preferiu acertar com o Sampaio foi alvo de críticas porque estaria apalavrado com o time rubro-negro. Dois pesos e duas medidas?

André Ramos, aliás esteve no Moto no início da temporada. Treinou quase um mês, mas acabou acertando com o Sampaio porque os dirigentes rubro-negros entenderam que não precisavam de volantes. Vi durante a Taça Cidade de São Luís o clube contratar o Fred que serviu apenas para compor elenco. Agora vou esperar para ver novamente. O jogador foi dispensado do Sampaio porque Wink preferiu dois que ele indicou. A mesma atitude tomou o Moto por intermédio do técnico Ronaldo Rangel.

Como bom jogador que é, André Ramos não ficou sem clube um dia sequer. Quem ganhou foi o Maranhão e o técnico Meinha que aos poucos vai montando um grupo forte para o Campeonato Maranhense. E melhor ainda para o André que a estréia será contra o Moto no dia 25 de junho.

Uma resposta para "Apito final"

  • carlinhos morais

    Eu fico com pena da imprensa que se esforça para promover o nosso futebol que é um produto dificil de vender em função da pobreza em todos os sentidos, cujo os culpados maiores são esses incompetentes dirigentes, que só usam o futebol como trapolim para os seus projetos pessoais.