TV digital

O Ministério das Comunicações deve publicar nos próximos dias uma portaria para criar dez canais públicos de TV Digital. A informações foi confirmada pelo ministro Hélio Costa, que divulgou o cronograma de implantação da no país. Segundo ele, cada canal público terá uma faixa de 6 Mhz de transmissão digital. A proposta está prevista no decreto 5820 que criou o Sistema Brasileiro de TV Digital.

“Uma das razões principais para a adoção do sistema japonês é porque ele era único que, sendo adotado no país, liberava os canais de 60 a 69 que hoje são utilizados para fazer a comunicação entre a base e o transmissor. Como no sistema japonês você faz a transmissão dentro dos 6 Mhz, vão sobrar esses canais de 60 a 69 que deixarão de ser utilizados. E nós vamos utilizar esses canais para iniciar um procedimento de redes públicas de televisão”, disse o ministro.

Indagado pelos jornalistas se os canais públicos teriam uma faixa de 6 Mhz para cada um ou uma sub-divisão, o ministro enfatizou que as emissoras públicas terão direito a uma faixa exclusiva. “A Radiobrás passa a ter um canal nacional. O Ministério da Educação terá um Canal da Educação. O Ministério da Cultura vai ter um Canal da Cultura. E cada cidade vai ter um Canal da Cidadania. E se você quiser, lá na cidade, pode dividir em quatro o canal”, relatou ao acrescentar também a TV Senado e a TV Câmara.

A consignação dos canais digitais para a exploração direta da União Federal está prevista do decreto 5820 nos artigos 12 e 13. Clique aqui para ver a íntegra do documento.

Fonte: Agência Brasil

Uma resposta para "TV digital"

  • Fernando Trinta

    A adoção do padrão Japonês é mais uma questão política que a liberação de 9 canais de comunicação. Este padrão além de ser mais caro para implantação (tanto para a base de usuários quanto de retransmissores) ainda é bastante imaturo (embora promissor). Enquanto o padrão Europeu já é utilizado bom um número razoável de países, o padrão Japônes só utilizado em algumas regiões do Japão. É uma aposta, mas o que não me convence são as justificativas do Sr. Ministro…